Esportes

Marcelo Fernandes explica Balieiro titular do Santos e diz: “Estratégia funcionou”

Gazeta
Gazeta Esportiva

14 de novembro de 2020 - 18:17 - Atualizado em 14 de novembro de 2020 - 19:30

O Santos superou 15 desfalques para vencer o Internacional por 2 a 0 na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. E a principal novidade foi Vinicius Balieiro como titular.

O meio-campista de 21 anos subiu do sub-23 e fez a estreia já como titular. Ele foi um dos destaques da partida.

“Ideia foi de todos. Chegamos no trabalho para pensar em um time depois de perdermos muitos jogadores no setor. Estávamos vulneráveis na cabeça de área. E Vinicius vinha atuando muito bem no sub-23. Trouxemos ele, pensamos na estratégia e funcionou. Ele correspondeu e, assim como todos, fez grande partida”, disse Marcelo Fernandes.

“A gente dança conforme a música. Hoje a estratégia foi essa diante de time que propõe e esperava que o Santos fosse marcar como sempre marcamos. Hoje foi uma exceção, pensando em tudo que o Santos viveu. Jogar de peito aberto com líder do campeonato depois de tudo isso? Pensamos nessa estratégia e deu tudo certo”, completou.

O auxiliar assumiu a equipe diante de Cuca, Cuquinha e Eudes com covid-19. E foi humilde para mudar o estilo de jogo diante do líder do Brasileirão.

“Significa muito pela semana que tivemos, pela perda irreparável do nosso comandante, da comissão e de vários jogadores. Trabalho do Cuca foi mostrado hoje, por tudo que construiu durante o ano. Mostramos isso aqui, quando precisamos de todos. Estamos a dois pontos do líder e temos que pensar assim, grande”, afirmou.

“Estratégia foi montada em cima do seguinte: Felipe Jonatan por dentro fez várias partidas muito boas. Se não fosse ele, teríamos três jogos que não vinham atuando 90 minutos no meio-campo. Estávamos preocupados com ritmo de jogo, que seria de muita competitividade. A entrada do Wagner na esquerda, já feita com o Cuca, foi pensada na bola aérea. Precisávamos igualar com a bola aérea do Internacional. Escolha foi positiva, deu muito certo e vitória diz tudo. Mudamos o jeito de jogar e surpreendemos o Inter”.

O Santos teve 15 desfalques, 11 deles por covid-19: Alison, Alex, Ângelo, Diego Pituca, Jean Mota, João Paulo, Jobson, Lucas Veríssimo, Madson, Sandry e Vladimir. Soteldo (seleção da Venezuela) e Sánchez, Raniel e Renyer (no departamento médico) também foram ausências. E a comissão técnica teve quatro baixas em função do novo coronavírus: Cuca, os auxiliares Cuquinha e Eudes e o preparador físico Omar Feitosa. Dos 23 relacionados, 16 passaram pelas categorias de base.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.