Esportes

Jogador “fantasma” do Santos se despede após três anos de ostracismo

Gazeta
Gazeta Esportiva
Jogador “fantasma” do Santos se despede após três anos de ostracismo

31 de dezembro de 2020 - 07:00 - Atualizado em 1 de janeiro de 2021 - 00:00

A primeira contratação da gestão José Carlos Peres termina a passagem pelo Santos nesta quinta-feira, 31 de dezembro. E provavelmente você não conhece esse jogador.

O atacante Lucas Yanase, agora com 24 anos, foi contratado em 1/1/2018, primeiro dia de Peres no Peixe. E nunca jogou um minuto sequer no Alvinegro ou em dois clubes para onde foi emprestado: Metropolitano (SC) e Rio Branco (ES).

À época, José Carlos Peres defendeu a contratação e citou um teste no Liverpool, da Inglaterra.

“Lucas tinha um contrato com o Liverpool que eu encaminhei ao Marcelo (Teixeira) ano passado (2017) ele encaminhou para o sub-23, mas não chamaram o garoto. Tem futuro, salário dele é muito pequeno, cerca de cinco ou seis salários mínimos e que pode render muito. Está treinando e vai mostrar serviço. É do sub-23. Jair (Ventura) preferiu segurar o menino para disputar as competições do sub-23 e se for bem, puxar. Se não der certo, não perderemos nada. Fizeram carnaval como se fosse crime, o valor é muito pequeno. Vão na minha sala que eu mostro”, disse o ex-presidente, em uma reunião do Conselho Deliberativo.

E não deu certo. O atleta virou uma espécie de fantasma. Não jogou nem no sub-23 e se afastou das redes sociais. Foi até difícil encontrar fotos recentes do jogador.

Lucas Yanase, no Rio Branco (Foto: Divulgação)

A Gazeta Esportiva procurou José Carlos Peres para comentar essa situação. Sua aposta nem estreou no Santos, Metropolitano e Rio Branco e não joga pelo menos desde 2017.

“Eu não contratei para ficar sem jogar. Ele jogou quando emprestado (não jogou). Mas isso acontece na base de times grandes. Pior foi o Cleber Reis, que custou milhões de reais e é dor de cabeça até agora. Na minha gestão, nenhuma vez. Não fui eu que contratei. E ele já havia passado pela base do Santos antes. Estamos no fim do ano, pandemia. Vamos ter um pouco de solidariedade com o ser humano”, disse Peres, antes de falar mais.

“Eu juro, nunca acompanhei esse guri. Mas ele foi bem no começo, quando oposição começou a bater nele por causa do Lica (Ricardo Crivelli, avaliador que foi afastado por investigação de pedofilia). E me parece que ele (Lucas Yanase) baixou a cabeça. Na primeira semana, eu tive que desbloquear 10 contas e arrumar seis milhões junto aos bancos para fazer o clube andar. Não cuidei da base especificamente. Tem que cobrar quem contratou. Agora é muito estranho, porque assumimos no dia 2 e não no dia 1. Quem registra é o departamento jurídico”, completou.

O resumo é que Lucas Yanase deixa o Santos nesta quinta-feira, três anos depois de chegar e nem ser notado.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.