Bastidores

Jean Mota defende sediar jogos do Santos na Vila Belmiro: “Só quem vive, sabe”

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 30 de abril de 2020 - 00:00

Em fevereiro, o Santos anunciou um acordo com a Allegra, administradora do Pacaembu, que prevê a disputa de pelo menos 10 jogos no estádio em 2020. Até o momento, além da partida diante do Palmeiras, a capital paulista também deveria ter recebido o duelo contra o Santo André, adiado por conta da pandemia da covid-19.

Apesar do Pacaembu registrar maiores médias de público, o meio-campista Jean Mota não titubeou quando questionado a respeito da preferência dos jogadores e comissão técnica em sediar confrontos na Baixada Santista.

“A verdade é que temos que jogar aonde for, pois somos funcionários do clube. Isso é uma questão difícil de dizer porque sempre algum lado vai se pronunciar e achar que estamos querendo mandar em algo”, declarou, em entrevista exclusiva concedida à Gazeta Esportiva.

“Mas a Vila é a identidade do Santos. Se você perguntar pra qualquer jogador que joga contra o Santos, se preferem na Vila ou enfrentar no Pacaembu, tenho certeza que 100% vai dizer o Pacaembu. A Vila tem uma atmosfera diferente. Só quem vive, sabe”, acrescentou.

Prestes a completar quatro anos no Peixe, Jean Mota elegeu a partida na qual a torcida mais o impactou.

“Foi nas quartas de final da libertadores contra o Barcelona de Guayaquil. Infelizmente não atingimos o objetivo, que era passar de fase, mas a recepção antes da chegada naquela rua que vai para a Vila Belmiro me marcou”, contou.