Esportes

Isaquias relembra trajetória difícil até o ouro e manda recado para a “nação rubro-negra”

Gazeta
Gazeta Esportiva

7 de agosto de 2021 - 05:30 - Atualizado em 7 de agosto de 2021 - 05:45

Campeão olímpico no C1 1000m nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Isaquias Queiroz não teve uma trajetória tranquila até subir ao lugar mais alto do pódio. Ao comentar sobre o que passou pela sua cabeça quando recebeu a medalha de ouro, o brasileiro relembrou sua caminhada até um dos momentos mais importantes de sua vida.

“Passou tudo o que aconteceu na minha vida. Meu acidente, a perda do meu rim. Existe uma diferença entre ser humilde e ser pobre. Minha família era humilde, não era rica e nem pobre. Minha mãe nunca deixou faltar nada para a gente, mas foram muitas coisas tristes que passaram. São 12 anos de seleção, me dedicando ao esporte. Hoje, poder chegar do outro lado do mundo e representar bem o Brasil…”, disse à TV Globo.

Isaquias também citou outros brasileiros que conquistaram o ouro em Tóquio ao comentar sobre a motivação para ser campeão olímpico.

“Eu vi a Rebeca (Andrade), a Ana Marcela, o Ítalo (Ferreira)… Eu queria esse pódio. Estava faltando a minha, queria ter essa honra. Fui atrás, todo mundo viu que eu disse que queria o ouro ao longo dos últimos dias. Nós, atletas, não desistimos nunca. Os brasileiros estão de parabéns, mesmo os que não ganharam medalha. Sabem o quanto ralaram para estarem aqui”, afirmou o atleta.

Atleta do Flamengo, Isaquias ainda mandou um recado para a torcida do clube carioca após subir no pódio.

“Nação rubro-negra, o ouro é nosso! Levamos para casa, obrigado pelo apoio. Eu queria muito isso. Tinha a medalha de ouro como campeão mundial e agora sou medalhista olímpico representando o Flamengo também”, finalizou.