Esportes

Global Athlete solicita extinção de regra que impede protestos nas Olimpíadas

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Global Athlete solicita extinção de regra que impede protestos nas Olimpíadas

14 de junho de 2020 - 20:33 - Atualizado em 16 de junho de 2020 - 10:11

Em meio à onda de protestos ao redor do mundo a favor da igualdade racial, após a morte do negro George Floyd por um policial branco, a postura adotada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) tem sido bastante criticada. Na última quarta, a organização anunciou que a Regra 50 da Carta Olímpica, que proíbe qualquer forma de protesto durante os Jogos, seria mantida para as Olimpíadas de Tóquio.

Indignado com a postura da federação, o movimento internacional de atletas conhecido como “Global Athlete” emitiu uma carta em seu site oficial exigindo o fim desta norma, para garantir que todos tenham seu direito de liberdade de expressão.

Global Athlete exige extinção da Regra 50 para que atletas possam protestar (Foto: Divulgação/Global Athlete)

“Os atletas tiveram que escolher entre competir em silêncio e defender o que é certo por muito tempo. É tempo de mudança. Todo atleta deve ter poderes para usar suas plataformas, gestos e voz. O silêncio da voz do atleta levou à opressão, o silêncio levou ao abuso e o silêncio levou à discriminação no esporte”, diz a carta do movimento.

O comunicado ainda destaca que as regras do esporte não podem limitar o direito de liberdade de expressão presente na Declaração Universal dos Direitos Humanos. Além disso, solicita o apoio de atletas e patrocinadores para que as mudanças exigidas sejam concretizadas.

“O COI e as próprias regras do IPC descritas na regra 50 da Carta Olímpica são uma clara violação dos direitos humanos de todos os atletas. O COI, como observador das Nações Unidas, deve ter um padrão mais alto. O COI e o IPC devem respeitar o artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que declara: ‘Todo mundo tem direito à liberdade de opinião e expressão; esse direito inclui a liberdade de manter opiniões sem interferência’. As regras esportivas não devem ter a capacidade de limitar esse direito”, escreve o Global Athlete.

“Convocamos todos os atletas a continuarem juntos pela mudança. Convidamos todos os patrocinadores a exigir mudanças. Apelamos aos Comitês Olímpicos e Paralímpicos Nacionais e às Federações Internacionais para enfrentar as mudanças e exigi-las. Por fim, pedimos ao COI e ao IPC que ponham fim a essa hipocrisia, apoiem seus atletas e extingam a regra 50. Os atletas não serão mais silenciados”, finaliza.