Esportes

Medalhista do Pan 2007, ginasta Ana Paula Scheffer morre aos 31 anos no oeste do Paraná

Ana Paula Scheffer, que conquistou bronze na competição em 2007, teria sido vítima de infarto fulminante. Velório deverá ser em Toledo, no Paraná

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais com informações do R7
Medalhista do Pan 2007, ginasta Ana Paula Scheffer morre aos 31 anos no oeste do Paraná
(Foto: Reprodução/Colagem)

16 de outubro de 2020 - 16:48 - Atualizado em 16 de outubro de 2020 - 16:50

A ginasta Ana Paula Scheffer, que defendeu a seleção brasileira de ginástica rítmica e conquistou uma medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos Rio 2007, foi encontrada morta nesta sexta-feira (16), em Toledo, no oeste do Paraná. A ex-atleta, de 31 anos, trabalhava como técnica de uma equipe em Cascavel, também no oeste paranaense.

Ana Paula, que morava com os pais, foi encontrada morta pela mãe, em casa, por volta das 12h30. A suspeita é que um infarto fulminante tenha vitimado a ex-atleta. O velório deve ser realizado em Toledo e restrito aos familiares.

Em nota oficial, a Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) classificou Ana Paula como “uma das mais notáveis de sua geração”.

“Ana Paula Scheffer é uma das atletas que construíram a nossa ginástica rítmica, e que a transformaram em motivo de grande orgulho para todos os brasileiros. Além de inspirar, tinha um importante trabalho de formação de novas atletas no Paraná. Parte cedo demais, mas não será esquecida”, disse a presidente da CBG, Maria Luciene Cacho Resende.

Nas redes sociais, a equipe escreveu que Ana Paula “deixou um legado de luta e amor pela ginástica rítmica”.

“Com imensa tristeza comunicamos o falecimento precoce de nossa técnica Ana Paula Scheffer. Foram anos de dedicação à frente da GR Cascavel, uma história construída com esforço, dedicação, empenho e muito amor. Estamos com o coração em pedaço sem acreditar nessa repentina perda, mas felizes por ter tido a oportunidade de conviver e aprender tanto com ela”, diz o texto.

Ana Paula conquistou o bronze no arco do Pan 2007. Depois de um tempo, ela perdeu espaço na seleção brasileira e logo seguiu o caminho de treinadora no Paraná.