Atlético-MG

Galo é derrotado pelo Bahia, mas avança no agregado pela Copa do Brasil

Gazeta
Gazeta Esportiva

4 de agosto de 2021 - 23:34 - Atualizado em 5 de agosto de 2021 - 00:00

A Copa do Brasil conhece mais um classificado para suas quartas de final. Na noite desta quarta-feira, o Atlético-MG visitou o Bahia pelo jogo de volta das oitavas de final da competição. A partida terminou em 2 a 1 para os donos da casa, mas, ainda assim, o Galo avançou no agregado após vencer a ida por 2 a 0 no Mineirão.

Mesmo com a classificação, a derrota teve marco importante na temporada do Atlético. Já eram 10 jogos de invencibilidade somando todas as competições. Sendo que, nos quatro últimos, o time não teve sua meta vazada uma vez sequer. No lado do Bahia, um consolo. É a primeira vitória após cinco jogos sem vencer. Neste período de jejum, o ataque baiano passou em branco em todas estas cinco partidas.

Agora, classificado para as quartas na Copa do Brasil, o Atlético espera sorteio para conhecer seu adversário na próxima etapa. Pelo próximo compromisso, o Galo visita o Juventude neste domingo, às 16h (de Brasília), pela Série A do Campeonato Brasileiro. Enquanto isso, também pelo Brasileirão, o Bahia tem pela frente o Cuiabá, fora de casa, neste sábado, às 21h (de Brasília).

O jogo – Os primeiros dez minutos de bola rolando foram de muito estudo. Com muitos passes no meio de campo, os times iam procurando espaços, que não apareciam. Aos 11, Rossi decidiu arriscar da intermediária. O atacante dominou a bola no peito e, sem deixar cair no chão, mandou sem muita força, em cima de Everson, que mesmo assim aceitou, deixando passar por baixo de seu corpo. 1 a 0 Bahia.

Com o gol, os donos da casa cresceram. Em cobrança de escanteio, Everson afastou mal e Rossi aproveitou  para mandar de cabeça para a pequena área. Em mais um cabeceio, Luiz Otávio obrigou, agora sim, milagre do goleiro. No rebote, com o gol absolutamente livre e a poucos passos de distância, Conti mandou por cima.

Mesmo após mais um susto, a postura do Atlético em campo não mudou. Parando em uma defesa bem postada do adversário, chutes de fora da área viraram a principal opção. Em um deles, Dodô chegou a levar perigo, mas passou ao lado da trave esquerda. Em outro, Sasha mandou por cima.

O jogo, que vinha perdendo intensidade, esfriou de vez. Aos 44 minutos, um dos refletores do Joia da Princesa apagou, deixando a partida parada por aproximadamente oito minutos. Com a demora e pelo pouco tempo de primeira etapa que restava, atletas e árbitro decidiram dar continuidade ao confronto mesmo com a escuridão parcial.

Este pouco tempo foi o suficiente para que o Bahia ampliasse. Aos 46, Mugni, com liberdade pela esquerda, cruzou para belíssimo cabeceio de Juninho Capixaba, que mandou para dentro e anotou o 2 a 0 no placar, deixando tudo igual no agregado.

Para o segundo tempo, Cuca fez muitas mudanças no meio e no ataque. Tchê Tchê, Savarino e Sasha saíram para dar lugar a Vargas, Borrero e Nacho Fernández. Agora, com o time mais ofensivo, o Galo passou a criar mais.

As mudanças foram precisas. Com o Bahia fechado e apostando em contra-ataques, o Galo pressionava. Até que, aos 17, Vargas recebeu cruzamento pela direita de Borrero e só tocou de cabeça, por cima do goleiro, para recolocar o Galo à frente no agregado.

A partir daí, os papéis se inverteram. Os donos da casa, precisando do resultado, propunham o jogo, enquanto o Alético adotava postura mais defensiva. Ainda assim, o Bahia não conseguia aproveitar a maior liberdade para tocar a bola, sofrendo contra-ataques perigosos da equipe mineira, que não foi mais vazada.

FICHA TÉCNICA

BAHIA  2 X 1 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Joia da Princesa, em Feira de Santana (BA)

Data: 04 de agosto de 2021, quarta-feira.

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araújo (SP)

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)

VAR: José Claudio Rocha Filho (SP)

Cartões amarelos: Nacho Fernández, Vargas, Borrero,  Allan e Everson (Atlético-MG); Rossi, Luiz Otávio e Thonny Anderson (Bahia).

GOLS:

BAHIA: Rossi (11′ 1T), Juninho Capixaba (46′ 1T)

ATLÉTICO-MG: Vargas (17′ 2T)

BAHIA: Matheus Teixeira; Nino Paraíba, Conti, Luiz Otávio e Juninho Capixaba; Patrick de Lucca (Lucas Araújo), Daniel, Lucas Mugni (Thonny Anderson) e Rodriguinho (Ronaldo César); Rossi (Óscar Ruiz) e Gilberto.

Técnico: Dado Cavalcanti

ATLÉTICO-MG: Everson; Mariano (Guga), Réver, Júnior Alonso e Dodô; Jair, Allan e Tchê Tchê (Vargas); Savarino (Borrero), Hulk e Eduardo Sasha (Nacho Fernández).

Técnico: Cuca