Corinthians

Gabriel atribui melhora individual e coletiva no Corinthians a Vagner Mancini

Gazeta
Gazeta Esportiva

29 de dezembro de 2020 - 11:52 - Atualizado em 29 de dezembro de 2020 - 19:15

Vagner Mancini pegou o Corinthians na zona do rebaixamento, após a 15ª rodada, e depois de 12 jogos no Brasileiro, o Timão já se coloca entre as equipes que brigam por uma vaga no G6. Um dos jogadores que representam a evolução da equipe na temporada, Gabriel atribuiu ao treinador a melhora de rendimento, tanto individual como coletivamente, em entrevista concedida nesta terça-feira.

“Muito feliz pelo momento, pelas vitórias, pelo crescimento na tabela. O Mancini, junto com a comissão, vem me ajudando bastante, dando um pouco mais de liberdade para jogar, mais participação no aspecto de construção da parte ofensiva da equipe, não só na parte defensiva. Na época de base eu jogava mais avançado, como meia, então tenho essa liberdade. Quando tenho a oportunidade de avançar, nesse esquema que estamos jogando, consigo vir de trás como elemento surpresa. Então estou muito feliz por estar contribuindo com a equipe, e com certeza o Mancini e a comissão dele é um dos fatores principais pelo meu crescimento e da equipe na competição”, destacou o volante.

No início da temporada, Gabriel não conseguiu se afirmar entre os titulares quando a equipe era comandada por Tiago Nunes e também no período em que Dyego Coelho assumiu interinamente. Com Mancini, entretanto, seu desempenho melhorou, e o jogador vem em uma sequência de oito jogos como titular.

Se antes da chegada do novo treinador o Corinthians era uma equipe que sofria defensivamente, o time alvinegro passa agora a ser cada vez mais sólido na marcação. Gabriel ainda salientou que, com Mancini, o Timão retomou sua “identidade”, mas também com versatilidade para encarar adversários diferentes, e disse ainda que dá para o clube sonhar com algo maior nesta reta final de Campeonato Brasileiro.

“O Mancini acabou encontrando o sistema de jogo. Não só para uma partida. A gente estuda bastante o adversário para saber os pontos fortes, poder neutralizar e explorar bastante também os aspectos negativos dos adversários. O exemplo foi a maneira como jogamos contra o São Paulo, e depois contra o Goiás e o Botafogo. São estilos de jogo diferentes, sistemas diferentes, e a equipe se enquadrou de uma maneira inteligente. Nós conversamos que o nosso craque não é um jogador ou outro, mas sim o sistema de jogo. O Corinthians sempre foi dessa maneira. Marcando forte sem a bola, e com a bola com personalidade para jogar. Ainda faltam jogos e são muitos pontos em disputa. Estamos em um crescimento, jogo a jogo, brigando por coisas maiores no campeonato. A equipe vem numa confiança muito grande, e a performance dentro de campo nos dá confiança para poder sonhar com algo maior”

Gabriel reencontra Vagner Mancini depois de seis anos. Em 2014, quando vestia a camisa do Botafogo, o volante foi comandado pelo treinador, mas ambos não conseguiram se livrar do rebaixamento do clube.

O atleta mostrou-se feliz com o reencontro com o técnico, agora no Corinthians, e destacou suas virtudes e o que fez o seu trabalho evoluir neste período.

“O Mancini sempre foi um grande treinador. Lógico que todas as pessoas evoluem. Todos evoluíram, mas não quer dizer que antes ele não era um bom treinador. Até porque ele não iria assumir equipes grandes e ter a história que tem. Temos que tirar lições da vitória para sempre buscar ser melhor e conquistar nossos objetivos. Feliz de trabalhar com o Mancini de novo. É um cara muito do bem, que tem o diálogo com atleta por ter sido atleta, o que facilita nesse aspecto. Então nós estamos em um clima bom, um ambiente maravilhoso e é aproveitar esse momento porque sabemos que isso vai gerar frutos lá na frente e no final vamos comemorar”, elogiou o volante.

Invicto há seis partidas, e com uma sequência de três vitórias consecutivas, o Corinthians ocupa a nona colocação, com 39 pontos. A distância para o Palmeiras, que abre o G6 é de cinco pontos. Depois de vencer o Botafogo, no último domingo, e encerrar os jogos de 2020, o Timão só volta a campo no dia 13 de janeiro, quando encara o Fluminense, na Neo Química Arena.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.