Bastidores

Diego Maurício explica escolha pela Índia e conta primeiras experiências no país

Gazeta
Gazeta Esportiva
Diego Maurício explica escolha pela Índia e conta primeiras experiências no país

30 de março de 2021 - 16:11 - Atualizado em 30 de março de 2021 - 16:15

Em 2020 o atacante Diego Maurício tomou a decisão de deixar o CSA rumo ao futebol da Índia. Em meio à pandemia e a paralisação do esporte no Brasil, acabou optando pelo futebol asiático. Em entrevista exclusiva ao Gazeta Esportiva, o atleta explicou um pouco mais sobre sua escolha.

“Essa decisão foi um pouco difícil para mim, porque não tinha muito tempo no CSA, até porque a pandemia chegou e ficamos quase cinco meses sem jogar. Aí apareceu a proposta da Índia. O dono do clube ligou, me apresentou o projeto e foi onde eu vi que seria bom para mim. Era um valor muito maior do que eu ganhava no CSA, e eu optei por aceitar e seguir minha vida”. 

Foto: Divulgação/Odisha

A chegada ao Odisha, seu novo clube, aconteceu no final de agosto. E uma das perguntas mais ouvidas pelo atacante é sobre a vida no país asiático. Entretanto, por conta da pandemia e do rígido controle das competições locais, os únicos lugares que conheceu foram: estádio, CT e hotel.

“Muitas pessoas me perguntam como é a Índia. Mas eu não conheci, porque o campeonato foi organizado numa bolha, igual a NBA. Então o país, as ruas, eu não vi. Todos os times foram para uma cidade com quatro campos, onde foram realizados todos os jogos do campeonato. Eu só saia para treinar ou jogar e voltava para o resort”. 

Se por um lado Diego Maurício não conheceu a Índia tão bem, já pode falar com propriedade sobre o Campeonato Indiano. Já são 20 jogos e 12 gols pelo Odisha. Apesar de reconhecer os méritos do futebol local, ainda vê o Campeonato Brasileiro muito acima.

“O nível do Brasil, lógico, é melhor. Tem mais jogadores de qualidade. Só que aqui também é um nível bom para se jogar. Muitas pessoas chegam lá e acham que vão fazer acontecer, e muitos não conseguem. É um futebol muito corrido e não muito técnico, então se você não se esforçar não vai ter êxito”. 

Mesmo num país novo, algumas coisas nunca mudam. Com o rápido sucesso, logo todos foram pesquisar sobre o passado de Diego, e descobriram seu apelido de Drogbinha, por conta das semelhanças com Didier Drogba.

“Pessoal me chama assim. As pessoas são fofoqueiras e curiosas (risos). As coisas começaram a dar certo para mim, criei uma notoriedade aqui, fazendo bastante gol. Aí as pessoas foram buscar mais sobre mim e acabaram achando o Drogbinha na internet. E hoje nem me chamam mais de Diego, só Drogbinha. Mas eu fico feliz. Se me chamam é porque alguma coisa de bom eu tenho (risos)”. 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.