Futebol

Athletico empata com o Atlético-GO por 2 a 2, mas garante a classificação às quartas de final da Copa do Brasil

Christian e Renato Kayzer marcam para o Furacão, enquanto Zé Roberto e Éder fazem para o Dragão, em uma partida bastante equilibrada; com o 4 a 3 no agregado, Athletico avança de fase e embolsa mais R$ 3,45 milhões em premiações

Guilherme
Guilherme Almeida
Athletico empata com o Atlético-GO por 2 a 2, mas garante a classificação às quartas de final da Copa do Brasil
Christian comemora após marcar o primeiro gol do Furacão na partida (Foto: José Tramontin/Athletico)

4 de agosto de 2021 - 21:23 - Atualizado em 4 de agosto de 2021 - 21:27

Na noite desta quarta-feira (05), Atlético-GO e Athletico se enfrentaram, no Estádio Antônio Accioly, pela partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil.

Em partida equilibrada tecnicamente, cada equipe teve um pênalti a favor e marcou duas vezes. O resultado, portanto, não poderia ser diferente, com o empate por 2 a 2, prevalecendo ao final. Christian e Renato Kayzer marcaram para o Furacão, enquanto Zé Roberto fez o do Dragão, definindo o placar agregado em 4 a 3 para o Rubro-Negro paranaense, que avança de fase e segue na luta pelo bicampeonato.

Com o resultado, o Athletico está classificado para às quartas de final da Copa do Brasil, além de garantir mais R$ 3,45 milhões em premiações. O adversário da próxima fase será definido por sorteio, a ser realizado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), na próxima sexta-feira (06), às 15h.

As equipes voltam a campo no final de semana, pela Série A. No sábado (07), às 18h, o Athletico recebe o São Paulo, na Arena da Baixada. No domingo (08), às 18h15, o Atlético-GO encara o Ceará na Arena Castelão. As partidas serão válidas pela 15ª rodada.

ATLÉTICO-GO 2 X 2 ATHLETICO

O primeiro tempo foi equilibrado, mas sem grandes emoções. Precisando reverter o resultado, já que havia perdido a partida de ida, o Atlético-GO foi levemente superior. O Dragão ficou mais tempo com a posse de bola, e permaneceu no campo ofensivo em muitas oportunidades. As chances de gol, porém, foram escassas. A rigor, a melhor oportunidade foi aos 19. João Paulo acionou Dudu, que finalizou. A bola desviou em Nicolas e foi pela linha de fundo.

Contando com o que tinha de melhor, o Athletico demorou a entrar no jogo. O trio ofensivo David Terans- Nikão- Vitinho não conseguia produzir chances de perigo e que assustassem o goleiro Fernando Miguel. O Furacão controlou bem a partida, sendo justo dizer que jogou com o regulamento embaixo do braço. No entanto, quando parecia que o empate prevaleceria, o Rubro-Negro paranaense conseguiu tirar um coelho da cartola e marcar o gol.

Aos 44, na única chance efetiva criada na primeira etapa, Nikão tabelou com Renato Kayzer e tocou para Christian, na entrada da área. O volante bateu de primeira e a bola morreu no fundo das redes de Fernando Miguel.

O gol no final do primeiro tempo obrigou o Atlético-GO a começar a segunda etapa pressionando. E o Dragão foi premiado logo aos dez minutos. Richard tentou cortar cruzamento e acertou Zé Roberto, dentro da área. Após checagem do VAR, a penalidade foi marcada. O próprio Zé Roberto cobrou com rasteiro, com categoria, no canto direito, sem chances para Bento, que pulou para o outro lado.

O Athletico, contudo, não se abateu com o empate. O Furacão foi para cima, e acabou sendo premiado com o segundo gol. E novamente, em uma cobrança de pênalti.

Aos 20, Renato Kayzer saiu em velocidade, tirou de Eder e foi derrubado pelo zagueiro do time goiano. A arbitragem marcou a penalidade. Nikão cobrou e Fernando Miguel defendeu. O goleiro, no entanto, se adiantou, e o VAR mandou voltar. Renato Kayzer chamou a responsabilidade e mandou uma pancada, no meio do gol, sem chances para o arqueiro adversário. Foi o primeiro gol do atacante após mais de dois meses de jejum. Ele se emocionou e foi às lagrimas.

Abatido, o Atlético-GO não teve forças para reagir. O técnico Eduardo Barroca efetuou mudanças, mas elas não surtiram efeito. O Athletico chegou a marcar o terceiro, novamente com Renato Kayzer, mas o lance foi invalidado após checagem do VAR, por impedimento de Nikão no início da jogada.

Mas a partida ainda não estava decidida. Aos 51, Lucão ganhou de Khellven e cabeceou firme. Bento defendeu, mas deu rebote. A bola ficou limpa para Éder empurrar para o fundo das redes e empatar a partida. O time goiano se lançou ao ataque em busca da virada que levaria a decisão para às penalidades. No entanto, o placar não foi mais alterado, e o Furacão garantiu a classificação com o 4 a 3 no agregado.

Ficha Técnica

Copa do Brasil
Oitavas de final – Jogo de volta

Atlético-GO: Fernando Miguel; Dudu (Arnaldo 2ºT/27″), Oliveira, Éder e Natanael; Gabriel Baralhas (Arthur Gomes 2ºT/00″), Willian Maranhão (André Lima 2ºT/31″) e João Paulo; André Luís (Toró 2ºT/27″), Zé Roberto e Janderson
Técnico: Eduardo Barroca
Gols: Zé Roberto (2ºT/10″); Éder (2ºT/51″)
Cartões amarelos: João Paulo (1ºT/25″); Arnaldo (2ºT/46″); Zé Roberto (2ºT/55″)

Athletico: Bento; Marcinho (Khellven 2ºT/25″), Pedro Henrique, Thiago Heleno e Nicolas (Márcio Azevedo 2ºT/18″); Richard, Christian (Léo Cittadini 2ºT/42″) e David Terans (Zé Ivaldo 2ºT/25″); Nikão, Vitinho e Renato Kayzer (Carlos Eduardo 2ºT/41″)
Técnico: António Oliveira
Gols: Christian (1ºT/44″); Renato Kayzer (2ºT/24″)
Cartões amarelos: Thiago Heleno (1ºT/18″); Nicolas (2ºT/04″); António Oliveira (2ºT/12″)

Local: Estádio Antônio Accioly, em Goiânia (GO)
Data: 04/08/2021
Horário:
 19h15
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Rodrigo Figueiredo Henrique Correa (RJ) e Thiago Henrique Neto Correa Farinha (RJ)
Árbitro de vídeo: Rodrigo Nunes (RJ)

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.