Futebol Paranaense

Com aposta na juventude e campanha sólida em casa, Londrina encerra 2020 de olho na Série B

Tubarão emplacou melhor campanha como mandante no Brasileirão, e utilizou 17 atletas formados na base na busca pelo acesso

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais Texto escrito por Vinícius Eira
Com aposta na juventude e campanha sólida em casa, Londrina encerra 2020 de olho na Série B
Matheus Bianqui foi um dos jogadores formados na base que mais teve oportunidades em 2020 (Gustavo Oliveira/Londrina EC)

30 de dezembro de 2020 - 16:26 - Atualizado em 30 de dezembro de 2020 - 16:26

O Londrina vira o ano, mas ainda tem no que se apegar na temporada, já que a briga pelo acesso à Série B deve esquentar de vez na próxima segunda-feira (4), diante do Paysandu, em casa. Mas olhando para o ano atípico de 2020, o Tubarão vivenciou períodos de altos e baixos. Teve aposta na juventude, eliminação precoce na Copa do Brasil, um primeiro semestre para se esquecer e uma sequência empolgante no Estádio do Café.

Por falar nessa força dentro de casa, a equipe Alviceleste se destacou como o melhor mandante da Série C, com 86,6% de aproveitamento. Foram oito vitórias – garantidas em sequência, igualando a melhor marca do clube, de 2018 –, apenas dois empates, 13 gols marcados e apenas quatro sofridos. Considerando todo o ano de 2020, o LEC só saiu derrotado em duas oportunidades, para Coritiba e Operário, no Paranaense.

Por outro lado, quando precisou viajar, o Tubarão sofreu. Ao todo foram 18 jogos fora de casa, com 10 derrotas, cinco empates e apenas três vitórias – só uma delas na Série C. Além disso, o aproveitamento ruim longe do Estádio do Café resultou nas eliminações do Paranaense (já que as duas partidas contra o Athletico foram fora de Londrina por conta da pandemia do novo coronavírus) e na primeira fase da Copa do Brasil, para o XV de Piracicaba.

Além disso, outro fator foi marcante no 2020 do Londrina: a aposta na juventude. Dos 54 jogadores utilizados no ano, apenas seis tem mais de 30 anos, e 17 foram formados nas categorias de base do clube. No primeiro semestre, a média de idade da equipe alviceleste era de 22,7 anos. Para a Série C, buscou-se acrescentar experiência ao elenco, e a média de idade subiu para 24,4 anos, mas ainda assim, jovens como Wilker, de 16 anos, e Cirilo, de 18, tiveram oportunidades de vestir a camisa.

No geral, o Londrina termina um curto 2020 – apenas 35 jogos – com 13 vitórias, 10 empates e 12 derrotas, um 6º lugar geral no Paranaense, uma eliminação precoce na Copa do Brasil, mas ainda vivo na Série C. Faltam três rodadas, duas delas em casa, onde o torcedor se apega na boa campanha para manter viva a esperança pela volta à B.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.