Esportes

Finalista da Libertadores, português Abel tenta quebrar jejum de 55 anos pelo Palmeiras

Gazeta
Gazeta Esportiva

29 de janeiro de 2021 - 08:00 - Atualizado em 30 de janeiro de 2021 - 12:30

Ainda no início de sua trajetória como técnico do Palmeiras, o português Abel Ferreira pode quebrar um jejum de 55 anos neste sábado. Às 16 horas (de Brasília), no Estádio do Maracanã, o time alviverde entra em campo para decidir a Copa Libertadores contra o Santos.

O último estrangeiro a conquistar um título como técnico do Palmeiras foi Filpo Nuñez, mentor da Academia de Futebol. Com um jogo envolvente, o time comandado pelo argentino ganhou a edição de 1965 do Rio-São Paulo após 12 vitórias, três empates, uma derrota, 49 gols marcados e 20 sofridos.

Já o mais recente estrangeiro finalista de um torneio no comando do Palmeiras foi Alfredo Gonzalez, também argentino. Na decisão da Copa Libertadores 1968, o time alviverde acabou derrotado pelo Estudiantes, da Argentina, apenas na partida desempate.

Abel Ferreira será o terceiro técnico estrangeiro a dirigir o Palmeiras em uma decisão de Libertadores. Em 1961, sob o comando do argentino Armando Renganeschi, o time alviverde foi o primeiro representante do Brasil a se classificar à final, mas perdeu do tradicional Peñarol, do Uruguai.

Primeiro português, Abel Ferreira é o oitavo europeu e o 23º estrangeiro a comandar a Sociedade Esportiva Palmeiras. O último treinador nascido no Velho Continente havia sido o italiano Caetano De Domenico, que conquistou o Campeonato Paulista de 1940 e permaneceu no Palestra Itália até 1941.

O Palmeiras venceu todos os seis duelos eliminatórias desde a chegada de Abel Ferreira. Na Copa do Brasil, eliminou Red Bull Bragantino (oitavas de final), Ceará (quartas de final) e América-MG (semifinal). Na Libertadores, deixou pelo caminho Delfin (oitavas de final), Libertad (quartas de final) e River Plate (semifinal).

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.