Esportes

Fifa, OMS e Comissão Europeia se unem em campanha contra violência doméstica

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Fifa, OMS e Comissão Europeia se unem em campanha contra violência doméstica

26 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 26 de maio de 2020 - 00:00

A FIFA, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Comissão Europeia anunciaram uma nova campanha em conjunto, chamada de #SafeHome (#CasaSegura). O objetivo é oferecer apoio a mulheres e crianças em risco de sofrer violência doméstica durante o período de quarentena ao redor do mundo.

O projeto traz vídeos de conscientização destinados aos agressores e aos governos, e também mensagens de apoio e de conselho às vítimas. Alguns jogadores e jogadoras fizeram parte do programa, como Álvaro Arbeloa, Rosana Augusto, Vítor Baía, Khalilou Fadiga, Matthias Ginter, David James, Annike Krahn, Marco Materazzi, Milagros Menéndez, Noemi Pascotto, Graham Potter, Mikaël Silvestre, Kelly Smith, Óliver Torres e Clémentine Touré.

Estrelas do futebol se uniram em vídeos do novo projeto da Fifa com a OMS (Foto: Divulgação)

“Juntamente com a Organização Mundial da Saúde e a Comissão Europeia, estamos pedindo à comunidade do futebol que gere uma conscientização a respeito desta situação intolerável, que ameaça especialmente mulheres e crianças nas suas próprias casas, lugar em que deveriam se sentir felizes, seguras e protegidas”, disse o Presidente da FIFA, Gianni Infantino.

“Os direitos das mulheres são direitos humanos e portanto devem ser protegidos. Com frequência, as mulheres e as crianças abusadas ficam receosas de falar por medo ou vergonha. Essa ‘janela’ para se manifestar e buscar ajuda é ainda mais restrita durante o confinamento”, ressalta Mariya Gabriel, comissária europeia de Inovação, Pesquisa, Cultura, Educação e Juventude.

Segundo dados divulgados pelas entidades, quase uma entre três mulheres em todo o mundo sofrem violência física e/ou sexual por parte de um parceiro íntimo ou violência sexual por parte de outros durante a sua vida. Na maioria dos casos, essa violência é cometida por um parceiro em casa.

Além disso, até 38% de todos os assassinatos de mulheres são cometidos por um parceiro íntimo. Também estima-se que um bilhão de crianças entre 2 e 17 anos de idade (ou metade das crianças do mundo) sofreram negligência ou violência física, sexual ou emocional no ano passado.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.