Campeonato Espanhol

Federações do futebol internacional se manifestam contra a criação da Superliga

Gazeta
Gazeta Esportiva

19 de abril de 2021 - 08:48 - Atualizado em 19 de abril de 2021 - 12:30

O anúncio da criação da Superliga, feito nesse domingo, gerou muita repercussão entre torcedores e entidades do meio do futebol. Nessa segunda, a Federação Alemã de Futebol e a La Liga, organizadora do Campeonato Espanhol, mostraram seu descontentamento.

“A Federação Alemã de Futebol (DFB) assume uma posição clara contra o conceito de uma Superliga Europeia. O futebol sempre deve ter a ver com desempenho em campo; ele decide a promoção e rebaixamento, bem como a qualificação para as respectivas competições”, disse a Federação em seu site oficial.

Hans Joachim Watzke, presidente do Borussia Dortmund, também emitiu sua opinião em comunicado divulgado no site do clube. “Os dois clubes alemães (Dortmund e Bayern de Munique) representados na direção da ECA apresentaram opiniões 100% idênticas em todas as discussões, estamos totalmente contra”.

A La Liga também emitiu seu posicionamento. “Nós  condenamos veementemente a proposta anunciada de criação de uma competição europeia separatista e elitista, que ataca os princípios da competitividade aberta e do mérito esportivo que ocupam a parte mais profunda do ecossistema do futebol nacional e europeu”.

“A LaLiga defende esta tradição do futebol europeu de futebol para todos. O conceito proposto por 12 clubes europeus destrói esse sonho, fechando as portas ao topo do futebol europeu e permitindo a entrada de apenas alguns para uma elite”, afirmou.

Além da Federação Alemã e a La Liga, outros dois campeonatos também se manifestaram contra a criação da Superliga, neste domingo: Premier League e Série A.

“A Premier League condena qualquer proposta que atente contra os princípios da competição aberta e do mérito desportivo que estão no cerne da pirâmide do futebol nacional e europeu. Os torcedores de qualquer clube da Inglaterra e da Europa podem sonhar que seu time pode chegar ao topo e jogar contra os melhores. Acreditamos que o conceito de uma Superliga Europeia destruiria este sonho”, escreveu a organizadora do Campeonato Inglês.

“Vamos considerar todas as medidas ao nosso alcance, em todos os níveis, judiciais e desportivos, a fim de evitar que isso aconteça. O futebol é baseado em competições abertas e mérito esportivo; não pode ser de outra maneira”, ressaltou a organizadora do Campeonato Italiano.

Novos desdobramentos devem acontecer nessa segunda, com reunião da UEFA. Até o momento, nenhum dos 12 integrantes da Superliga (United, City, Arsenal, Chelsea, Tottenham, Liverpool, Real Madrid, Barcelona, Atlético de Madrid, Juventus, Milan e Internazionale) se manifestou sobre a repercussão tomada.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.