Corinthians

Fagner volta ao Corinthians e recebe mensagem surpresa de David Beckham; assista

Gazeta
Gazeta Esportiva

24 de maio de 2021 - 17:45 - Atualizado em 24 de maio de 2021 - 18:00

Depois de se recuperar da covid-19, Fagner voltou nesta segunda-feira aos treinamentos no CT Joaquim Grava. Na última vez que esteve em campo, o lateral de 31 anos marcou um gol e ajudou o Corinthians a golear a Inter de Limeira naquele que foi seu jogo número 400 pelo Timão.

“Estou de volta, tive de ficar afastado por precaução, que é o protocolo, mas graças a Deus, nada demais, praticamente não tive nenhum sintoma, pude descansar, doido para voltar e, graças a Deus, estou aí, de volta”, contou Fagner à Corinthians TV.

“Sensação é única. Você poder atingir uma marca como essa em um clube como o Corinthians, só tenho que agradecer mesmo por ter vivenciado tudo isso. Acho que foi tão especial, além da marca, poder fazer um gol, ganhar tudo para acrescentar aquele dia especial. Agora é ir em busca dos 450”.

De repente, no meio da entrevista, Fagner foi pego de surpresa ao ser convidado a assistir um vídeo pelo celular. A mensagem era de David Beckham, ídolo inglês que marcou época com as camisas de Manchester United e Real Madrid.

“Olá, Fagner. Eu sou David Beckham. Eu quero te fazer uma pergunta. Eu sei que você veste a camisa número 23, mas por quê? Eu ouvi que é uma ótima história, então, eu adoraria ouvi-la. E uma última coisa: eu gostaria de parabenizá-lo pelos 400 jogos com o Corinthians. É um feito impressionante. Parabéns e felicidades”, disse Beckham.

Fagner, meio sem graça, não conseguiu segurar o sorriso.

“Aí é sacanagem. Aí pegou pesado”.

“A história da camisa 23 começou por causa do David Beckham, na época que ele era do Real. Eu lembro da época que ele jogava no Manchester, eu já acompanhava ele, já gostava, pelo jeito que ele batia na bola. E eu, por jogar na beirada do campo também, queria sempre me espelhar nele, bater na bola e ter a qualidade, que é impossível ter a mesma qualidade que ele”.

“Com o passar do tempo, quando eu chego no PSV e tem a camisa 23 ali, eu quis pegar ela logo, por estar começando minha trajetória na Europa. Foi um cara que eu sempre vi como um ídolo, pelo jeito que jogava, pelo jeito que batia na bola. E, pô, essa mensagem eu tenho de guardar pelo resto da vida, porque você receber isso aí do seu ídolo é muito gratificante. E obrigado por vocês terem feito isso para mim”.

Novas metas

Cássio já superou a marca dos 500 jogos com a camisa do Corinthians. Será que dá para chegar no goleiro? Fagner também respondeu essa.

“É difícil chegar no Gigante. O Gigante nunca sai do time, nunca se machuca, ainda bem. Cada um está construindo sua história dentro do clube, história bonita, vitoriosa. E é como eu falei. Agora eu penso em chegar nos 450. Depois que chegar nos 450, no 500, e assim vai. Temos de pensar jogo a jogo, devagarzinho, mas é um objetivo, sim, cada vez mais deixar meu nome na história do clube, por vestir a camisa, por estar representando os corintianos, a marca em si. Para mim é um feito muito grande e eu fico muito feliz por estar chegando nessas marcas, conquistando títulos”.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.