Corinthians

Fábio Santos vê Retrô acostumado a gramado ruim e diz que foco do Corinthians é mata-mata

Gazeta
Gazeta Esportiva

27 de março de 2021 - 00:17 - Atualizado em 27 de março de 2021 - 00:30

O Corinthians precisou ir aos pênaltis para se classificar à terceira fase da Copa do Brasil. Contra o Retrô-PE, o Timão sofreu durante os dois tempos de jogo, teve menos a bola e criou menos oportunidades de gol que seu adversário.

O cenário foi exposto a Fábio Santos depois da partida, em Saquarema, no Rio de Janeiro. E o lateral, apesar de valorizar a conquista, admitiu a necessidade de melhorar.

“Da mesma forma que estamos preocupados, vamos continuar correndo, tentando dar uma força para essa meninada que subiu. A gente sabia das dificuldades, tentamos esquecer tudo isso, a gente sabe que fomos bem abaixo, não serve como desculpa as viagens, a programação. A gente sabe que tem de melhorar, temos essa noção, e vamos melhorar, mas melhorar com classificação é bem melhor. Foi importante manter a concentração nos pênaltis, importante ter passado de fase. Sabemos que precisamos evoluir”, comentou o jogador do Corinthians ao Sportv.

Questionado sobre o fato do Retrô ter conseguido trocar mais passes que o Corinthians mesmo com o gramado ruim, Fábio Santos comparou a realidade de cada clube.

“A gente sabe que o Retrô está mais acostumado a jogar nesse tipo de campo e isso não é demérito para ninguém. Eles jogam categorias mais abaixo, estão mais acostumados, interior de Pernambuco, outras divisões. Mas, isso também não soa como desculpa. A gente tentou de adaptar ao campo, não se adaptou e uma das alternativas era a bola parada. A gente conseguiu fazer 1 a 0 e por pouco não conseguimos a classificação. Precisamos melhorar, temos de colocar a bola no chão, temos de criar mais situações de gol, mas é como eu falei, feliz pela classificação e daqui para frente a gente vê o que precisa melhorar”.

Agora, além da Copa do Brasil, o Corinthians ainda tem o Campeonato Paulista, a Copa Sul-Americana e o Campeonato Brasileiro pela frente. E, segundo Fábio Santos, a esperança não está no Brasileirão, não.

“O grupo é grande, numeroso, mas que precisa qualificar. A diretoria pediu paciência, vamos usar bastante a meninada, que o torcedor entenda isso, que vamos usar aos poucos até para não queimar os meninos, a gente sabe que jogador o Corinthians não é fácil. Vamos dar esse suporte a eles e continuar nessas competições, que é mata-mata, onde a gente vê maior chance de conquista”, concluiu.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.