Bahia

Ex-CEO do Bahia, Pedro Henriques vê ‘movimentação natural’ de dirigentes após as eleições presidenciais

Gazeta
Gazeta Esportiva

8 de janeiro de 2021 - 15:54 - Atualizado em 8 de janeiro de 2021 - 17:00

A alta movimentação do ‘mercado de dirigentes’ na virada do ano criou uma onda de contratações, saídas, especulações e sondagens no futebol brasileiro. Alguns nomes como Alexandre Mattos, Rodrigo Caetano, Diego Cerri, Alexandre Pássaro e Marco Aurélio Souza movimentaram a área da gestão de futebol nos clubes. Ex-CEO e ex-vice presidente do Bahia, Pedro Henriques analisou este movimento como natural devido às eleições presidenciais que aconteceram no final de 2020.

” Essas movimentações no mercado do futebol são muito naturais se considerarmos as eleições que ocorreram nesse fim de ano, com mudança de comando em vários grandes clubes do Brasil. Normalmente os novos mandatários querem trazer profissionais para oxigenar o clube ou que não mantenham relação com a gestão que foi sucedida”, disse Pedro Henriques.

Eleito o melhor CEO de clubes de futebol no Brasil em 2020 pela CONAFUT (Conferência Nacional de Futebol), Pedro Henriques relatou que prevê uma nova ‘onda’ dessa movimentação de dirigentes em breve, sobretudo diante do final desta temporada e o início da próxima, que devem acontecer em um curto período de tempo.

” Acredito, inclusive, que uma “segunda onda” desse movimento deve ocorrer em fevereiro com o final do Campeonato Brasileiro”, projetou.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.