Esportes

Éverton Ribeiro fala sobre convocação e retorno a Lima após título da Libertadores

Gazeta
Gazeta Esportiva

11 de outubro de 2020 - 15:13 - Atualizado em 11 de outubro de 2020 - 15:15

Atual campeão brasileiro e da Libertadores com o Flamengo, Éverton Ribeiro vive um dos melhores momentos de sua carreira. Após conquistar o título continental com a equipe rubro-negra em Lima, o atleta retorna aos gramados peruanos e dessa vez vestindo a camisa da Seleção Brasileira.

“Voltar para o estádio onde a gente se consagrou campeão da América é muito especial, e agora com a Seleção. Fico mais feliz ainda se formos lá, fizemos um grande jogo e voltarmos com a vitória, para aumentar essas boas lembranças”, declarou.

“É um sonho estar representando a Seleção. Tem muitos jogadores de qualidade, acima da média. Estar aqui pra mim é muito gratificante. É um reconhecimento pelo que eu tenho feito na carreira, principalmente agora no Flamengo”, acrescentou.

O atleta mira agora conquistar uma sequência de chances com a camisa do Brasil. “Todo mundo sabe, é um sonho para qualquer jogador poder defender a Seleção. Quero muito continuar fazendo o meu melhor trabalho aqui para ter mais oportunidades. Sonho em jogar uma Copa do Mundo. Tenho que fazer o meu melhor no Flamengo, continuar ganhando títulos para estar em alto nível e continuar sendo lembrado pelo Tite”.

Mais do que colecionar títulos e boas atuações pelo Flamengo, agora Éverton dá um passo à frente em sua carreira e busca protagonismo com a camisa canarinho. O Brasil segue em treinamento no CT Joaquim Grava, em São Paulo, até segunda-feira, quando viaja para o Peru e enfrenta os donos da casa na terça, às 21h (horário de Brasília).

Confira outros trechos da coletiva:

Estilo de jogo e posicionamento

“Realmente fiquei muito feliz de estar retornando e jogando no primeiro jogo. O professor Tite conversou comigo e existia essa possibilidade de poder substituir caso o Neymar não fosse jogar. Mas eu posso jogar em outras funções ali na frente. Onde o professor precisar de mim vou estar à disposição”.

“É o meu forte, poder conduzir em velocidade, driblar, abrir espaço. E eu vou fazer isso. Quando precisar e tiver a oportunidade”.

“Eu conversei com o professor e ele quer que eu seja um armador, como eu venho fazendo no Flamengo. Jogar mais por dentro, possa clarear mais jogadas para a nossa equipe, então independentemente se estiver mais na esquerda ou na direita, vou ser o cara que está articulando as jogadas”.

Relacionamento com Tite

“Trabalhar com o Tite novamente está sendo incrível. Poder ouvir o que ele tem para passar pra gente. Para eu voltar daqui ainda melhor, sabendo mais sobre o futebol. E ele tem um extracampo muito forte. Nos mostra como ser melhores no dia a dia, não só no futebol, mas na vida. Tenho muito para aprender com ele dentro e fora de campo”.