Bastidores

Essinho relembra momentos marcantes que viveu no futebol da Costa Rica

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Essinho relembra momentos marcantes que viveu no futebol da Costa Rica

21 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 21 de maio de 2020 - 00:00

Após a paralisação por conta da pandemia do coronavírus, a bola enfim voltou a rolar na Costa Rica nesta quarta-feira. Com isso, o ex-jogador, Edson Valente, o Essinho, teve a oportunidade de relembrar um pouco do período em que esteve por lá, atuando na Liga Deportiva Alajuelense.

“Cheguei a Costa Rica em julho de 1999, aos 30 anos de idade, e fiquei dois anos. Defendi a Liga Deportiva Alajuelense, que é um dos times grandes, situado na cidade de Alajuela, que fica a trinta minutos da capital San Jose. E o maior clássico local reúne a equipe que defendi e o Deportivo Saprissa, que era o atual bicampeão nacional na ocasião e vivia um grande momento”, relembrou o atacante revelado pelo Santos.

 Essinho é o brasileiro que mais marcou gols pela Liga Deportiva Alajuelense (Foto: Divulgação)

Além de ter conquistado o título da temporada 1999/2000, o atual observador técnico do Peixe também participou de um feito histórico para o seu time. Quando o brasileiro chegou, a Liga Deportiva Alajuelense não vencia o clássico diante do Deportivo Saprissa há algum tempo, cerca de dez confrontos favoráveis ao rival nos últimos encontros, mas o jejum enfim chegou ao fim.

“Logo conseguimos quebrar essa série, ganhando por 1 a 0, com um gol meu, que foi um momento marcante, pois obtivemos este importante resultado jogando ao lado da nossa torcida. Outro ponto que quero destacar foi quando disputamos a União Centro Americana de Futebol (UNCAF) e num jogo decisivo contra o Comunicaciones, da Guatemala, realizado em Honduras, marquei dois gols e vencemos por 3 a 0, conseguindo avançar no campeonato da Confederação de Futebol da América do Norte, Central e Caribe (Concacaf)”, relembrou.

“Pela mesma competição, em Las Vegas (EUA), fizemos o primeiro jogo contra o Toluca, campeão mexicano, e vencemos (1 a 0); depois enfrentamos o norte-americano Chicago Fire e empatamos (1 a 1), vencendo nas penalidades. Na decisão, contra o também mexicano Necaxa acabamos derrotados (2 a 1) e ficamos com o vice-campeonato, perdendo a chance de disputar o Campeonato Mundial Interclubes daquela temporada, que foi realizado no Brasil e o Corinthians se sagrou campeão”, complementou.

Nesta mesma temporada, a Liga Deportiva Alajuelense se posicionou na 27ª posição no ranking da Federação Internacional de Futebol (FIFA). “Fato inédito para o futebol da América Central naquela época, já que nenhuma equipe do continente havia figurado entre as 100 melhores e nós estivemos no Top 30. O critério usado pela Federação Internacional é direcionado às vitórias, conquistas e sequências sem derrotas; e nós vínhamos de uma série bem positiva, com resultados e conquistas importantes”, completou Essinho.

Ao longo de sua carreira, Essinho jogou pelo Santos FC, Olímpia, Paysandu, Atlético Goianiense, XV de Jaú, Santo André e Portuguesa Santista, entre outras equipes.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.