Basquete

Esportistas dos EUA participam de protestos após assassinato de George Floyd

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

30 de maio de 2020 - 00:00 - Atualizado em 30 de maio de 2020 - 00:00

Diversas personalidades do esporte estão participando de uma onda de protestos que tomou conta dos Estados Unidos nos últimos dias. As manifestações tiveram início na segunda-feira (25), quando George Floyd, um homem negro de 46 anos, morreu asfixiado com um policial ajoelhado em seu pescoço. O caso ocorreu em Minneapolis, no estado de Minnesota, e repercutiu em todo o país.

O assassinato de George Floyd revoltou uma série de atletas e ex-atletas estadunidenses, que agora participam das manifestações contra a violência policial e o racismo.

Um dos nomes mais ativos é Stephen Jackson, que atuou na NBA entre os anos 2000 e 2014. O ex-ala revelou que era amigo de George Floyd e o chamava de “gêmeo”, por conta da aparência física.

Além de se manifestar nas redes sociais, Stephen Jackson foi a Minnesota para participar ativamente dos protestos. Ao seu lado, estava o pivô Karl Anthony Towns, que defende o Minnesota Timberwolves.

Outro esportista que aparece com protagonismo nos atos é Kolin Kaepernick, que revelou em suas redes sociais que está disposto a pagar os advogados das pessoas que estejam participando do protesto. O jogador de futebol americano está afastado da NFL desde 2017, após ter gerado polêmica em suas manifestações contra a desigualdade racial, ao se ajoelhar durante a execução do hino nacional dos Estados Unidos.

A revolta pelo assassinato de George Floyd também foi manifestada por nomes como LeBron James, Stephen Curry e Dwayne Wade. O policial envolvido no caso, Derek Chauvin, foi acusado de homicídio e detido na última sexta-feira (29).

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.