Esportes

Emoção e remontadas: o caminho de Liverpool e Real Madrid até a final da Liga dos Campeões

Equipes repetem decisão de 2018 do principal torneio de clubes do planeta; veja a trajetória de cada time

Guilherme
Guilherme Fortunato / Produtor
Emoção e remontadas: o caminho de Liverpool e Real Madrid até a final da Liga dos Campeões
Essa é a terceira decisão entre essas equipes. Cada time venceu uma. Na última, em 2018, deu Real Madrid. (Foto: Divulgação / UEFA Champions League)

15 de maio de 2022 - 11:00

Pela terceira vez na história, Liverpool e Real Madrid se enfrentam em uma final de Liga dos Campeões da Europa. A decisão da principal competição de clubes do mundo será no sábado (28), em Paris, na França, a partir das 16h. O confronto coloca frente a frente duas escolas de jogo. O caminho dos finalistas até a capital francesa também foi distinto.

Seis vezes campeão do torneio, o Liverpool de Jürgen Klopp chega a sua terceira final nos últimos cinco anos. O clube foi campeão em 2019 e vice em 2018, perdendo a decisão para o próprio Real Madrid, adversário da decisão de 28 de maio. 

Em ótima fase, os ingleses iniciaram a trajetória até a final da Liga dos Campeões com seis vitórias em seis jogos na fase de grupos, que garantiu o primeiro lugar no grupo B, que tinha também Atlético Madrid, Porto e Milan. O ataque vermelho marcou 17 gols e sofreu apenas seis na primeira fase. 

Liverpool chega a sua terceira final de Liga dos Campeões em cinco anos
(Foto: reprodução / Instagram)

Confronto de gigantes 

O sorteio das oitavas de final colocou no caminho do Liverpool a tradicional Inter de Milão, então campeã do Campeonato Italiano. No primeiro jogo, na Itália, em 16 de fevereiro, houve vitória vermelha por 2 a 0, com gols de Salah e do brasileiro Firmino, e um respiro para os comandados de Klopp para a partida de volta em Anfield. 

No segundo confronto, no dia 8 de março, uma atmosfera com a cara do Liverpool. Com vantagem no placar e uma torcida apaixonada lotando as arquibancadas, a noite tinha tudo para ser emocionante, e foi. Não da maneira esperada pelo torcedor, que viu os italianos venceram o jogo por 1 a 0, gol do argentino Lautaro Martinez, e pressionaram os ingleses, que saíram com a vaga para as quartas de final, graças a boa vantagem conquistada em Milão. 

Primeira surpresa no caminho

Nas quartas de final da Liga dos Campeões, o Liverpool encarou uma das surpresas da edição de 2022. Apesar de ser bicampeão do torneio, o Benfica de Portugal não era um dos favoritos à classificação, já que na primeira fase estava no grupo com os gigantes Bayern de Munique e Barcelona. Os espanhóis ficaram para trás, enquanto os portugueses e alemães caminharam às oitavas, onde de novo surpreenderam ao eliminar outro gigante, o Ajax da Holanda. 

A primeira partida aconteceu na noite de 5 de abril, nos estádio da Luz, em Lisboa. Assim como na fase anterior, os ingleses venceram na casa do adversário, dessa vez por 3 a 1, com gols de Konaté, Mané e Luis Diaz. O uruguaio Darwin Nuñez descontou para os lusitanos. De novo o Liverpool levava para Inglaterra uma vantagem considerável. 

O ótimo resultado no jogo de ida permitiu que Jürgen Klopp poupasse alguns de seus principais jogadores, como Mané e Salah. Um grande jogo em 13 de abril terminou empatado 3 a 3, classificou o Liverpool para semifinal da Liga dos Campeões 2022. Roberto Firmino duas vezes e Konaté fizeram os gols para o time da casa, enquanto Gonçalo Ramos, Roman Yaremchuk e Darwin Nuñez marcaram para o Benfica, que chegou a ter gols anulados. 

Outra surpresa no caminho e um susto no jogo de volta 

A fase semifinal colocou outra surpresa na trajetória do Liverpool até a final da Liga dos Campeões 2022. O Villarreal da Espanha, que deixou para trás os gigantes Juventus-ITA e Bayern de Munique-ALE. 

Diferente das fases anteriores, os Reds começaram o confronto jogando em seu estádio, Anfield, em 27 de abril. Depois de um primeiro difícil, os comandados de Klopp conseguiram quebrar a forte defesa espanhola e vencer por 2 a 0, gol contra de Estupiñán e Sadio Mané, deixaram de novo o Liverpool com vantagem considerável para o jogo de volta. 

A torcida do Villarreal lotou o estádio de la Cerámica na noite de 3 de maio. Os espanhóis deram um susto e já igualou a eliminatória, ainda no primeiro tempo, fazendo 2 a 0, com Dia e Coquelin. O puxão de orelha do técnico Jürgen Klopp no vestiário deu resultado. O Liverpool voltou diferente e com gols do brasileiro Fabinho, Mané e Luis Diaz, virou o jogo e abriu ainda mais vantagem para chegar à terceira final em cinco anos da Liga dos Campeões da Europa. 

Mané celebra gol contra Villarreal na Espanha
(Foto: Reprodução / Instagram)

O gigante que nunca está morto

Essa é a frase que traduz a campanha do Real Madrid até mais uma final de Liga dos Campeões da Europa, a 17ª de sua história. Os “Reis da Europa” já venceram 13 edições e seguem folgados como maior vencedor do torneio. Diferente do rival da decisão de 28 de maio, em Paris, o caminho dos merengues não começou da maneira esperada. 

Jogadores do Real Madrid comemoram classificação para final da Liga das Campeões
(Foto: Reprodução / Instagram)

Apesar de terminar a fase de grupos com folga na primeira posição do grupo D, o Real Madrid começou sua trajetória com uma zebra. Derrota em pleno Santiago Bernabéu para o Sheriff da Moldávia por 2 a 1. Apesar da zebra na estreia, ´los blancos´não tiveram dificuldades para vencer os outros cincos jogos contra o mesmo Sheriff, Inter de Milão e Shakhtar Donetsk. O clube se classificou às oitavas com 15 pontos, cinco vitórias e uma derrota. Foram 14 gols marcados e apenas três sofridos pelo time do técnico Carlo Ancelotti.

Primeira remontada 

O sorteio das oitavas de final não foi generoso com o Real. O adversário era o badalado Paris Saint Germain das estrelas Messi, Mbappé e Neymar, time que investiu pesado visando o título da Liga dos Campeões 2022. 

A primeira partida foi em Paris, em 15 de fevereiro. Pressão do PSG, chances perdidas, defesas de Courtois e até pênalti perdido por Lionel Messi, custaria caro aos franceses, que até venceram o jogo, com um golaço de Mbappé nos acréscimos. Mas como dito em parágrafos anteriores, “o gigante nunca está morto”.

O segundo jogo foi em 9 de março, desta vez na casa do Real Madrid, o mítico Santiago Bernabéu, e o cenário era parecido com o do primeiro duelo. Domínio do PSG, gols anulados e de novo defesas do goleiro madridista levaram os franceses a abrirem o placar, de novo com Mbappé.

Àquela altura, o confronto parecia resolvido, quando Donnarumma, badalado goleiro do time francês falhou na saída de bola em um lance polêmico que terminou no gol de empate de Karim Benzema. Os jogadores do Paris reclamaram de falta no goleiro. Após o empate, os torcedores incendiaram a atmosfera do Bernabéu. Em poucos minutos, Benzema marcou outros dois gols e levou os merengues à próxima fase. 

Revanche contra o atual campeão e outra ‘remontada’ 

As quartas de final reservou mais emoções ao torcedor do Real Madrid. Dessa vez o caminho até a decisão de 28 de maio colocou o então campeão europeu, o Chelsea, que na edição de 2021 eliminou o Real nas semifinais, na frente dos espanhóis novamente.  

O primeiro capítulo dessa “revanche” foi em Londres, no Stamford Bridge, casa do atual campeão europeu. Diferente das oitavas, o Madrid fez um grande jogo fora de casa e venceu com mais três gols de Karim Benzema por 3 a 1. Havertz descontou para o Chelsea. 

Voltamos ao Santiago Bernabéu, na noite de 12 de abril de 2022. Dessa vez a vantagem do confronto era merengue, que poderia empatar e até perder por um gol de diferença que mesmo assim passaria de fase. Mas do outro lado tinha o atual campeão. Os azuis de Londres fizeram uma partida impecável e abriram 3 a 0, com Mount, Rüdiger e Timo Werner, e ficaram próximos da vaga para semifinal. E de novo, quando o Real Madrid parecia morto, veio a remontada. 

Em um lance mágico de Luka Modric, o brasileiro Rodrygo diminuiu o placar e levou o jogo para prorrogação. No tempo extra, mais uma vez brilhou a estrela de Benzema, que de cabeça fez o gol da classificação espanhola para a próxima fase. 

Um velho conhecido e brilho brasileiro 

Se você pensou que as emoções no caminho do Real Madrid até a final da Liga dos Campeões 2022, no dia 28 de maio, em Paris, haviam acabado, se enganou. A semifinal proporcionou um reencontro dos merengues com Pep Guardiola, hoje treinador do Manchester City, mas com história no maior rival do Madrid, o Barcelona. E que encontro! 

Duas aulas de futebol em duas escolas diferentes de jogo. O tradicional “tik-taka” de Guardiola contra a consistência defensiva de Carlo Ancelotti. A primeira aula foi no Etihad Stadium, em Manchester, em 26 de abril. Um dois a zero relâmpago, três aberturas de vantagem por parte do Manchester City e outras três renascidas do Real Madrid, resultaram em um 4 a 3 espetacular para os ingleses. Os gols foram marcados por De Bruyne, Gabriel Jesus, Foden e Bernardo Silva para o City. Enquanto Benzema duas vezes e Vinícius Júnior, com um golaço, descontaram para o Real Madrid. 

A expectativa para a partida de volta no Santiago Bernabéu, em 4 de maio, era das maiores após o jogo de Manchester. Em campo a inspiração dos times foi diferente, mas não faltou emoção. No segundo tempo, Mahrez abriu o placar para o Manchester City e deixou os ingleses bem perto da vaga. Mas o Real Madrid, de novo, contou com a estrela do brasileiro Rodrygo, que marcou dois gols nos acréscimos e levou a partida para prorrogação.  

No tempo extra, Karim Benzema e de novo Rodrygo, voltaram a brilhar. Em jogada do brasileiro, o francês sofreu e converteu o pênalti que levou o Real Madrid para disputar sua quinta final nos últimos nove anos. O time venceu as quatro anteriores, incluindo quando venceu o Liverpool na final de 2018. 

Números dos finalistas 

O Liverpool chega a Paris à frente nas estatísticas. Em 12 jogos feitos até a final, foram 10 vitórias, 1 empate e apenas 1 derrota. Os ingleses marcaram 30 gols e sofreram 13 em toda Liga dos Campeões. 

Já o Real Madrid, tem 8 vitórias e quatro derrotas nos 12 jogos que fez na competição. Se nos números o Liverpool está à frente, o Real confia em sua história e nas viradas que conquistou até aqui. 

O retrospecto nas finais está empatado. Em 1981, na primeira decisão entre as duas equipes deu Liverpool. Assim como em 28 de maio, a final da edição foi em Paris. Os ingleses venceram por 1 a 0. O segundo confronto foi em Kiev, na Ucrânia, em 2018, com vitória do Real Madrid por 3 a 1. 

No total, o Real leva vantagem em confronto válido pela Liga dos Campeões. São quatro vitórias espanholas, três inglesas e um empate. A última vez que as duas equipes se encontraram foi na temporada passada. O Real Madrid eliminou o Liverpool nas quartas de final.