Esportes

Em carta aberta, Conmebol justifica Copa América no Brasil: “Não foi feita às pressas”

A Conmebol, por meio de seu site oficial, divulgou uma carta aberta, explicando os motivos das escolhas do Brasil como país sede

Gazeta
Gazeta Esportiva
Em carta aberta, Conmebol justifica Copa América no Brasil: “Não foi feita às pressas”
(Foto: Divulgação/ Conmebol)

13 de junho de 2021 - 14:34 - Atualizado em 13 de junho de 2021 - 15:30

Neste domingo (13), a Copa América 2021 será iniciada. Brasil e Venezuela se enfrentarão às 18h (de Brasília), no estádio Mané Garrincha, pela abertura da competição. Porém, muitas polêmicas envolvem a realização do torneio em solo brasileiro, já que o país soma quase 500 mil mortes pela pandemia da covid-19.

A Conmebol, por meio de seu site oficial, divulgou uma carta aberta, explicando os motivos das escolhas do Brasil como país sede.

Responsabilidade

A CONMEBOL está plenamente ciente da situação que o continente atravessa no contexto da pandemia. Da mesma forma, reconhece a importância que o futebol tem na cultura sul-americana e o papel que tem desempenhado na saúde física, mental e espiritual da população desde o início da pandemia. Por isso, com a ajuda de um painel de especialistas e em estreita coordenação com as autoridades sanitárias dos 10 países, concebeu e aplicou com sucesso rigorosas medidas e medidas sanitárias em todos os seus torneios. 

Essas medidas são altamente eficazes, facilmente verificáveis ​​com estatísticas. Mais de 99% de dezenas de milhares de testes de coronavírus foram negativos nos últimos dez meses.

A bolha de saúde a que estão sujeitas as delegações significa minimizar o contacto com o exterior, realizando testes 48 horas antes de cada jogo para todas as pessoas envolvidas nos jogos e o traslado de delegações em voos charter.

A CONMEBOL também é a única confederação do mundo que realiza a vacinação massiva de jogadores, técnicos, árbitros e auxiliares.

Profissionalismo

A decisão de realizar a Copa América no Brasil não é caprichosa nem improvisada. No Brasil, estão em desenvolvimento torneios nacionais, estaduais e locais, assim como as competições internacionais da CONMEBOL e as Eliminatórias para a Copa do Mundo. Competições internacionais de outras modalidades esportivas também estão em andamento. A CONMEBOL acertou com o governo brasileiro que este país sedie a Copa pelo exposto e pelo fato de a última competição ali ter sido realizada em 2019, o que facilita muito a organização. Como Argentina e Colômbia foram desclassificados como sedes, o protocolo da Direção Nacional de Competições de Seleções da CONMEBOL prescreve o local do torneio anterior como primeira alternativa.

A CONMEBOL Copa América 2021 não foi feita “às pressas”, o que seria impossível. O torneio é organizado de forma intensiva há mais de um ano, com a mobilização de importantes recursos financeiros, humanos e técnicos em todo o continente. A cada ano a CONMEBOL organiza um grande número de torneios internacionais de clubes e seleções, futebol de campo, futsal, futebol de areia, em diferentes categorias, nas modalidades masculina e feminina. Possui uma equipa de profissionais com vasta experiência e comprovada solvência na concepção e implementação de concursos de elevada qualidade. Profissionalismo é justamente a capacidade de enfrentar e resolver com rapidez e eficácia os desafios impostos por uma realidade em mudança.

Objetivo do esporte

A CONMEBOL Copa América 2021 tem um claro objetivo esportivo: que as seleções sul-americanas cheguem à Copa do Mundo de 2022 com chute e boa preparação física e técnica, através de um torneio altamente exigente. A CONMEBOL modificou o calendário de competições para conseguir o confronto entre a Copa América e a Eurocup. O objetivo de alinhar os dois torneios é minimizar o desgaste físico e mental dos jogadores. Os próprios jogadores, os clubes e as seleções nacionais beneficiam com isso. E, fundamentalmente, atletas sul-americanos e europeus chegarão à Copa do Mundo em pé de igualdade.

A CONMEBOL levou em consideração alguns fatos inquestionáveis. Nenhuma seleção sul-americana chegou às semifinais na Rússia 2018 e já se passaram 20 anos desde que a América do Sul venceu a Copa do Mundo. Até 2002, nosso continente superou a Europa em número de títulos mundiais. Hoje a relação é inversa. O benefício esportivo que a Copa América terá para as seleções do continente fica evidente para a Copa do Mundo do ano que vem.

O futebol sul-americano é paixão, é dedicação, é ousadia. Não encolhe contra nenhum rival. E a Nova CONMEBOL vai na mesma linha: não se esquiva dos desafios que surgem, sejam quais forem as suas dificuldades, porque SEMPRE ACREDITA GRANDE.

 

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.