Esportes

Em busca de novo modelo, Palmeiras não mantém técnico por ano completo desde 2013

Gazeta
Gazeta Esportiva

16 de outubro de 2020 - 07:00 - Atualizado em 16 de outubro de 2020 - 07:30

Buscando a definição de um novo modelo de jogo, o Palmeiras manteve uma sequência negativa com a demissão do técnico Vanderlei Luxemburgo após a derrota de quarta-feira para o Coritiba, pelo Campeonato Brasileiro. O fim da passagem de Luxa fez com que o Verdão chegasse ao sétimo ano seguido sem conseguir manter o mesmo técnico por uma temporada completa.

Gilson Kleina foi o último a iniciar e terminar um ano no comando da equipe alviverde, em 2013. O treinador esteve à frente do clube na campanha do título da Série B do Campeonato Brasileiro daquela temporada. Desde então, nenhum técnico ficou de janeiro a dezembro no banco de reservas palmeirense.

Campeão do Brasileirão de 2018, Felipão foi o único a treinar o Palmeiras por mais um de ano no período. Contudo, o comandante chegou e foi embora com a temporada em andamento, tendo sido contratado em julho de 2018 e demitido em setembro de 2019.

Em entrevista coletiva virtual, o presidente Maurício Galiotte falou sobre a falta de sequência dos treinadores no comando do Palmeiras nos últimos anos. Para ele, o time deve ter “performance, rendimento e resultado”.

“Não tivemos performances à altura das necessidades do clube. Para liderar um projeto no Palmeiras, não é fácil. A exigência é muito grande. O treinador começa um trabalho e não consegue ter performance. Vocês, da imprensa, um mês antes, já comentam que não tem resultado, que vai trocar… Faz parte do futebol. Não é o ideal. Temos de ter performance, rendimento e resultado”, declarou.

Segundo o mandatário, agora, antes de escolher o novo técnico, a ideia é estabelecer um estilo. Durante sua gestão, iniciada em 2017, Galiotte apostou em Eduardo Baptista, Cuca, Alberto Valentim, Roger Machado, Luiz Felipe Scolari, Mano Menezes e Vanderlei Luxemburgo. Para contratar o novo comandante e buscar garantir sua manutenção, “o clube precisa definir qual é o seu modelo de jogo”, de acordo com o presidente.

Sob o comando do auxiliar permanente Andrey Lopes, o Palmeiras volta a campo no próximo domingo, às 20h30 (de Brasília), quando encara o Fortaleza, no Castelão, pelo Campeonato Brasileiro. No momento, o Verdão ocupa a sétima colocação na tabela, com 22 pontos conquistados.