Esportes

Dorival Jr. lamenta condições de trabalho de técnicos no Brasil: “Máquina de triturar profissionais”

Gazeta
Gazeta Esportiva

3 de maio de 2021 - 07:30 - Atualizado em 3 de maio de 2021 - 08:00

Convidado do Mesa Redonda, da TV Gazeta, no último domingo, o técnico Dorival Júnior fez uma análise das condições de trabalho dos treinadores no Brasil. Ele lamentou a falta de tempo e a constante busca por resultados, destacando que a “impaciência é muito grande” e que o futebol nacional se transformou em uma “máquina de triturar profissionais”.

“É triste ver isso. É impossível ter condições de avaliar um trabalho de maneira correta. Infelizmente, no Brasil, nós não fazemos trabalhos, temos que gerar resultados. As pessoas falam que o futebol sempre foi assim, mas começou a ser assim de uns 20 anos para cá. Acho que essa impaciência é muito grande, há uma série de fatores que interferem diretamente”, afirmou.

“Virou uma máquina de triturar profissionais dentro do futebol. Um dia mudaremos, quem sabe, mas nós estamos muito longe de tudo isso. Não acontecerá uma mudança tão cedo. E em razão de todo esse movimento, os nossos clubes são penalizados, porque têm de arcar com multas rescisórias, dispensa de comissões técnicas. Porque não é apenas o treinador que vai embora”, acrescentou.

Dorival ainda comentou sem recebeu propostas para assumir algum clube e revelou que tem interesse em trabalhar no exterior.

“Aconteceram algumas coisas sim, mas eu estava pensando em ir para fora do país. Está um pouco tumultuado para finalizar essa situação. Quando você imagina que tudo vai dar certo, acaba dando o contrário. Como eu tive compromisso, tive que respeitar”, declarou o comandante.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.