Bastidores

Dominic, ex-Athletico-PR, conta como foi deixar o Brasil cedo para jogar na China

Gazeta
Gazeta Esportiva
Dominic, ex-Athletico-PR, conta como foi deixar o Brasil cedo para jogar na China

28 de setembro de 2020 - 17:09 - Atualizado em 28 de setembro de 2020 - 17:30

Muitos atletas fazem suas carreiras no Brasil para, depois, irem para o futebol chinês. Não foi o caso de Dominic Vinícius. O jogador formado pela Athletico-PR saiu antes de receber uma chance no profissional do clube, tendo uma rápida passagem pela Europa e, desde os 22 anos, vive na China. Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, o atacante contou mais sobre a decisão de tentar a vida fora do país.

“Sai com 21 anos, já tinha uma vivência e experiência no futebol, mas estava começando meu sonho. Na Dinamarca foi tranquilo cheguei no verão de 2016 me ajudou bastante que eu já falava um pouco de inglês. Na na China, fui bem recebido e me adaptei facilmente ao estilo do futebol daqui, foi mais difícil porém os brasileiros que moram aqui me ajudaram bastante. Locomoção, compras e etc… Estou a quase 3 anos aqui e sinto como se fosse minha segunda casa”.

Foto: Divulgação

No continente asiático, o atleta conseguiu se destacar. Atualmente, defende o BSU de Pequim, da segunda divisão chinesa. No clube desde 2018, esteve em 31 partidas, marcando 15 gols. Mesmo num bom momento, entende que por atuar na Ásia não tem tanta visibilidade em seu país de origem.

“Aqui na China a gente acaba ficando um pouco fora dos holofotes. O fuso do Brasil e o acompanhamento da imprensa fazem com que o futebol chinês tire um pouco de visibilidade. Mas o aprendizado cultural, e a estrutura que o futebol proporciona na aqui são muito profissionais. Eu sigo treinando forte, e muito feliz por poder fazer o que mais amo”.

Ver essa foto no Instagram

Loading up … 👉🏾👀

Uma publicação compartilhada por Dominic Uzoukwu 🇧🇷🇳🇬 (@doom95) em

Quando perguntado sobre o Brasil, Dominic garante que tem a intenção de voltar a atuar no país, embora não saiba ainda em que momento de sua carreira isso vai acontecer. Caso volte, o atacante não escondeu a vontade de retornar ao Furacão, mas pensa tem em mente também um clube paulista.

“Não tem como ser diferente, quero voltar a jogar no Brasil. Não sei quando, nem como, mas quero voltar para perto da família e poder mostrar meu futebol por aí. A gente nunca sabe o dia de amanhã, mas tenho um carinho especial pelo Athletico-PR e pelo Corinthians.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.