Corinthians

Diretor do Corinthians não vê não motivos para reprovação das contas e fala sobre reforços

Gazeta
Gazeta Esportiva

26 de abril de 2021 - 21:13 - Atualizado em 26 de abril de 2021 - 21:45

Nesta terça-feira, o Conselho Deliberativo do Corinthians irá se reunir de forma virtual para votar as contas do clube entre 2019 e 2020, que ainda estão pendentes. Ex-presidente e atual diretor de futebol do Timão, Roberto de Andrade afirmou nesta segunda-feira que os balanços devem ser aprovados, já que ele acredita que não há motivos para uma reprovação.

“O fato de reprovar as contas não vai mudar ou só vai prejudicar o clube, o que está feito, está feito. Não é que as contas são bonitas, óbvio que não são. O que a gente tem que fazer é apurar os atos de gestão. Podemos contestar, se errou ou acertou, faz parte. Agora, quando a gente fala de reprovar as contas é porque tem alguma irregularidade, e não é o caso. A gente trouxe um monte de jogadores que não deram certo e isso aumentou a dívida, sim, mas não há irregularidade. Acho que as contas serão aprovadas. Uma reprovação tem que ter algo irregular, um desvio”, disse à Rádio Bandeirantes.

Segundo o dirigente, que declarou ser contra a vaquinha virtual do torcida, as altas dívidas do Alvinegro são principalmente decorrentes do alto número de jogadores que o clube tem, sendo que muitos deles possuem altos salários. No momento, o déficit do Corinthians beira a casa do bilhão.

“A dívida aumenta pelo número grande de jogadores, isso é o mais impactante da dívida. Esse número de contratos dos jogadores é muito impactante. A folha está em cinco milhões e pouco. Não tem uma justificativa, você vai fazendo, tentando acertar, porque o futebol é carro chefe, você tem que fazer funcionar, e às vezes a gente se perde, mas nada que ao longo do tempo a gente não consiga regredir, como estamos fazendo agora. O Duílio está impondo uma política um pouco diferente, estamos pagando o que devemos e não vamos gastar. Você ainda vai somando as despesas com a pandemia, com testes, viagens… A receita diminuiu e as despesas estão aumentando, não tem como você correr delas”, comentou.

Dessa forma, a diretoria alvinegra trata a possibilidade de trazer reforços com muita cautela. O ex-mandatário não chegou a descartar contratações nesta temporada, mas ressaltou que, caso ocorram, terão que ser precisas, diferentemente do que aconteceu recentemente, com a chegada de atletas que pouco foram utilizados e inclusive já deixaram a equipe.

“A gente tem que encontrar o equilíbrio. Não podemos dar o passo maior que a perna, como sempre foi feito. O Corinthians está aberto a contratação, mas, se precisar, vai contratar uma peça certa. Queremos alguém que venha para resolver, que vista a camisa e jogue bola. Não temos ninguém na mira neste momento”, disse.

“Às vezes você traz um jogador com uma expectativa, mas você vai ver é outra. Acertar e errar faz parte. Nós temos que pensar para frente, o que ficou para trás não muda mais. Vamos mudar a mentalidade, com os pés no chão, fazer as coisas com responsabilidade. O torcedor pode ficar até chateado, mas calma, a hora que a gente puder trazer alguém que caiba no orçamento, vamos atrás, mas, neste momento, nós temos que dar um passo para trás, não tem outra saída. Estamos no caminho certo, mas ele não é curto. Precisamos contar com o apoio e com a paciência do torcedor”, finalizou.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.