Esportes

Diretor do Botafogo respalda trabalho ‘muito positivo’ realizado por Barroca

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

28 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 28 de setembro de 2019 - 00:00

O Botafogo vem de duas derrotas seguidas neste segundo turno do Campeonato Brasileiro e tem se mostrado um time muito instável na competição, na qual hoje ocupa a 11ª posição, com 27 pontos. Apesar disso, o diretor de futebol do clube, Anderson Barros, respaldou nesta sexta-feira o trabalho do técnico Eduardo Barroca. Para o dirigente, é preciso dar tempo ao treinador antes de começar a colher resultados mais expressivos.

“Barroca vem desenvolvendo um trabalho muito positivo na nossa visão. Os números e o que a gente vem apresentando até agora mostram isso. Claro que a equipe tem mostrado algum tipo de deficiência nos últimos jogos, mas isso faz parte do processo”, analisou Barros, em entrevista coletiva concedida em sua sala no estádio Engenhão, no Rio.

E o diretor deixou claro que considera fracassada a prática adotada por vários outros clubes do Brasil, de mudar treinador com frequência de acordo com os resultados alcançados. “O Botafogo teve uma experiência do ano passado, em que tivemos quatro treinadores, esse ano já conseguimos um equilíbrio maior. Esse é o caminho para o clube”, destacou.

“Não tem como você ficar mudando esse processo, lógico que às vezes o futebol nos obriga a algumas decisões, não estou julgando nenhuma decisão aqui, mas nós tivemos o experimento de 2018 e estamos tendo o de 2019, e essa sequência é muito importante para o clube”, completou.

O dirigente ainda aproveitou para confirmar que o Botafogo não pretende fazer contratações até o fim desta temporada. E isso está em linha com a política do clube de primeiro honrar os seus compromissos financeiros, o que já vem tendo muita dificuldade para conseguir fazer atualmente.

“Esse é o grupo. Nós temos hoje 33 atletas trabalhando – 29 de linha e quatro goleiros”, avisou. “Tudo isso em razão de entendermos a situação do clube, não tem como fugir. Não podemos deixar de honrar nossos compromissos básicos, não podíamos arriscar em contratações. Então a gente entendeu que, se não tivesse uma certeza absoluta de algo que viesse agregar ao grupo, a gente não faria”, justificou.

Depois de ter retornado de Salvador na quinta-feira, um dia após ter sido derrotado por 2 a 0 pelo Bahia, o time botafoguense treinou na tarde desta sexta. Os jogadores que foram titulares na capital baiana, exceto Gatito, Gilson e Lucas Campos, ficaram na academia realizando um trabalho muscular. Joel Carli e Igor Cássio, que se recuperam de lesões, realizaram fisioterapia. A equipe voltará a jogar pelo Brasileirão na segunda-feira, às 20 horas, contra o Fortaleza, no Castelão.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.