Bastidores

Deyverson revela por que se contorce em campo e o que pensa quando revê pela TV

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

29 de abril de 2020 - 00:00 - Atualizado em 29 de abril de 2020 - 00:00

Deyverson, reconhecidamente, costuma agir por impulso. A razão e a racionalidade muitas vezes sucumbem à emoção. A personalidade extravagante e hiperativa do atacante se apresenta em diversos momentos, inclusive dentro de campo. Neste cenário, uma característica, em especial, que expõe o jogador tanto a críticas quanto a “memes” bem-humorados está relacionada às cenas quase teatrais no gramado.

Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, Deyverson foi questionado sobre a motivação que o leva a valorizar tanto as jogadas de contato físico ou até mesmo aquelas em que o adversário mal o encosta.

“Na hora eu não penso. Mas, chego em casa, vejo e penso: ‘que m… que eu fiz. Meu Deus, que papagaiada’”.

Apesar de réu confesso, Deyverson não perde o bom-humor e a sinceridade nas palavras.

“Eu penso nisso, mas no dia seguinte faço de novo. O pessoal fala ‘você dá abertura para falarem de você. Você fala que fez m… e depois faz de novo’”.

Encabulado pelo tema e gargalhando, o ex-jogador do Palmeiras, que hoje defende o Getafe-ESP, por empréstimo, elegeu suas maiores ‘valorizadas’.

“Fora duas: a do Sport, que eu caí para fora do campo, pelo amor de Deus…(risos). Essa foi a pior. E contra o Cerro Porteño, levantei chamando a torcida, depois vi pela TV e falei: ‘Meu Deus, o que é isso que eu fiz (risos)’”.

Apesar do pouco tempo de Getafe, já deu tempo de Deyverson aprontar das suas por lá também. Em fevereiro, depois de marcar um importante gol contra o Ajax-HOL, pela Liga Europa, o atacante foi atingido por um isqueiro no braço e se contorceu exageradamente, com as mãos na costela, em meio a comemoração de seus companheiros.

O vídeo do lance rodou o mundo e repercutiu no Brasil, obviamente. À Gazeta Esportiva, Deyverson garantiu que não faz com a intenção de enganar os árbitros e também explicou como encara as reações entre torcedores e imprensa.

“Dou uma valorizada, digamos (risos), quando vou sair do choque. Exagero muito, acabo ficando contra os árbitros. Contra o Botafogo (6ª rodada do Brasileirão de 2019), o árbitro falou: ‘É o Deyverson, manda seguir’. Ainda me deu (cartão) amarelo. Mas, o VAR voltou o lance. Eu fui no árbitro e falei: ‘Muito obrigado’ (risos). O pessoal ainda comentou: ‘Você fica debochando ainda’ (risos). Eu levo numa boa, tenho muita amizade com as pessoas”.