Corinthians

Danilo Avelar defende Luan de críticas e diz: “O mundo dá voltas”

Gazeta
Gazeta Esportiva

29 de agosto de 2020 - 08:00 - Atualizado em 29 de agosto de 2020 - 08:30

Após o técnico Tiago Nunes defender o meia Luan das críticas recebidas nas últimas semanas, o zagueiro Danilo Avelar adotou o mesmo discurso. Em entrevista coletiva virtual, o defensor afirmou que a imprensa “pega pesado” com os jogadores do Corinthians, principalmente com o camisa 7.

“Confesso que pegam pesado, sim, mas a gente tem que estar ciente que estamos em uma profissão em que é muito fácil quem está na televisão ou quem está fora apontar o dedo e dizer o que é certo e o que é errado. Só quem jogou, e tem vários comentaristas ex-atletas que sabem muito bem como é a dinâmica dentro de campo e no dia a dia do futebol. Diferente de outras pessoas que ficam opinando. Eu sofri muita critica, mas sei onde estou, sei da minha capacidade”, disse o jogador.

“Não acho que isso afete o Luan, que veio de um grande clube e teve conquistas com o Grêmio e conquistas pessoais. Ele tem bagagem para corresponder, o problema é a nossa cultura, em que a pressa é para ontem, não dá tempo ao atleta ou treinador se adaptar. Futebol exige tempo, adaptação, sentir clima, ritmo, jogo, torcida, estádio. Tudo é novidade, assim como é no trabalho de vocês. A cobrança no futebol é imediatista. Temos que corresponder diante das vontade de vocês e não da nossa e da comissão. Mas jogar em time grande é assim, tem pressão e cobrança, tem que confiar em si. O mundo dá voltas, a bola dá voltas, e críticas se tornarão aplausos”, acrescentou.

Perguntado se as avaliações positivas ou negativas não fariam parte do “pacote” da carreira de um jogador profissional, já que os atletas ganham salários acima da média do país, o camisa 35 mais uma vez saiu em defesa de Luan.

“Na verdade, fazer parte do pacote, eu não sei. Mas vai rotulado em base do que vocês (imprensa) querem que aconteça. O Luan não tem culpa de ter um salário alto, de ter o peso que tem, o menino só pensa em jogar futebol e fez por perecer ter essa responsabilidade. Se inclui no pacote a crítica, por que não um elogio? Às vezes é o estímulo de que ele precisa para sair de uma situação complicada. É muito fácil só apontar os erros, criticar o cara que ganha milhões, dizer que ele é obrigado a ser o melhor em campo. Não! Se ele tem esse patamar, é porque mereceu, não tem que ser melhor ainda”, declarou.

“Por que não ver algo positivo em cima do que o Luan fez no último jogo? Olhe o Neymar, todo mundo apoiando na final. Saber lidar com vocês não é fácil, mas que seja uma coisa saudável. A gente entende a crítica e sabe a responsabilidade, mas por trás das câmeras tudo é mais fácil, analisar o jogo da televisão, torna-se fácil de criticar, de dizer “até minha avó fazia”, mas tem o lado humano. É interessante ter o reconhecimento quando você faz algo produtivo”, completou.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.