Esportes

Cuca elogia atuação do Santos contra o Grêmio e comenta contratação de Robinho

Gazeta
Gazeta Esportiva

11 de outubro de 2020 - 20:29 - Atualizado em 11 de outubro de 2020 - 20:45

Neste domingo, o Santos conseguiu uma boa vitória contra o Grêmio, na Vila Belmiro, pelo placar de 2 a 1, pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Cuca elogiou a atuação da equipe alvinegra no confronto, apesar da dificuldade imposta pelos adversários na segunda etapa.

“Eu vi um bom jogo, um jogo bem jogado, bem disputado, com duas equipes tentando a vitória. Nós, lógico, por estarmos jogando em casa, saímos para o jogo. O primeiro tempo foi muito bem jogado por parte do Santos. A gente teve saída de bola, chegadas pelos dois lados, infiltrações, diagonais. Fizemos um gol, pecamos em não fazer o segundo, e quando você joga contra uma equipe como o Grêmio, você pode ser surpreendido a qualquer momento”, declarou o comandante.

“O segundo tempo foi mais difícil. O Renato é um cara que tem o time na mão, já está há muitos anos à frente do Grêmio. Ele sentiu que tinha que jogar mais à frente. E tudo isso vai surtindo efeito, são grandes jogadores. Um jogo bem pensado pelo treinador do outro lado também. Tivemos uma dificuldade maior, mas, mesmo tomando o gol de empate, continuamos a jogar e buscar o gol. Criamos chances, botamos duas bolas na trave e acabamos sendo premiados com o segundo gol”, acrescentou.

Por outro lado, Cuca lamentou as oportunidades perdidas pelo Peixe, que poderiam ter deixado a situação dos donos da casa mais tranquila. O treinador citou os chutes na trave de Marinho e Jean Mota, e a finalização de letra de Diego Pituca como bolas que “eram para entrar”.

“A gente tem pecado na definição. Temos criado muitas chances, mas pecamos na definição. A gente tem trabalhado nesse quesito, o pouco que dá, porque não tem tempo. Tem dia que o jogador vai ser feliz na conclusão, e tem dia que ele não vai ser tão feliz. A bola do Jean Mota era uma bola para entrar e bateu na trave, a bola do Marinho era para entrar e deu na trave, a bola do Pituca de letra era para entrar e passou a meio metro. São pequenas diferenças que fazem o resultado final”, disse.

O comandante santista ainda comentou a contratação do atacante Robinho. Para o técnico, o jogador de 36 anos, condenado a nove anos de prisão por violência sexual na Itália, em 2017, pode ajudar a equipe “dentro e fora de campo”.

“Eu recebi (a notícia) ontem (sábado) à tarde. Eu estava na Vila, reunido com o pessoal e recebi a notícia dele lá. A gente espera que ele nos ajude muito dentro e fora de campo. Como é uma pessoa de índole e caráter maravilhoso, sem dúvida nenhuma vai nos ajudar. Ainda não pensei em como utilizar o Robinho, requer um tempo, ele tem que entrar em condição de jogo primeiro. Tudo isso tem tempo para depois a gente conversar e entender o que é melhor”, apontou Cuca.