Bastidores

Corinthians tenta evitar bloqueio de contas por causa de dívida de Maycon

Ainda no ano passado, o juiz Cláudio Pereira França autorizou o bloqueio das contas do Timão e, em seguida, aceitou pedido da B2F de penhorar 30% das receitas mensais vindas de todos os patrocinadores e dos direitos de transmissão da Globo

Gazeta
Gazeta Esportiva
Corinthians tenta evitar bloqueio de contas por causa de dívida de Maycon

14 de setembro de 2021 - 11:54 - Atualizado em 14 de setembro de 2021 - 13:48

O Corinthians tem dívida de cerca de R$ 1,7 milhão relacionada ao meio-campista Maycon e tenta evitar, por meio de seus parceiros, o bloqueio das receitas. Segundo o jornal Folha de São Paulo, os patrocinadores do clube e a TV Globo foram acionados pelo Tribunal de Justiça de São Paulo, após ação movida em junho de 2020 pela empresa B2F Marketing Esportivo, que cobrava em torno de R$ 1,275 milhão referente ao atleta.

De acordo com a publicação, a emissora depositou R$ 1.543.658,35 em junho, enquanto a Ambev contribuiu com R$ 108.215,52 no dia 27 de agosto. No entanto, os valores somados não cobram a dívida – atualmente de 1,692 milhão, após juros e acréscimo de 10% dos honorários advocatícios.

Ainda no ano passado, o juiz Cláudio Pereira França autorizou o bloqueio das contas do Timão e, em seguida, aceitou pedido da B2F de penhorar 30% das receitas mensais vindas de todos os patrocinadores e dos direitos de transmissão da Globo. Premiações da CBF e da FPF também estariam inclusas na determinação.

Desta forma, o clube montou uma lista com produtos que seriam penhorados. Incluiu, entre outros itens, 40 televisores, utensílios para cozinha, um ônibus Mercedes-Benz de 2002, aparelhos de ultrassonografia e scanner corporal.

Os advogados do time, Diógenes Mello Pimentel Neto e Sérgio Ventura Engelberg, informaram ao juiz que “a somatória desses bens atinge a importância de R$ 1.728.004,71, superior ao valor pretendido pelo exequente [B2F].”

No entanto, Cláudio recusou a proposta, afirmando que “não foi trazida a demonstração da titularidade e do estado atual dos bens ofertados.”

Citando as dificuldades financeiras decorrentes da pandemia de covid-19, o Corinthians conseguiu, mais tarde, reduzir a taxa de 30% para 5%. O clube disse que “tem buscado honrar todos os compromissos, incluindo o pagamento de processos judiciais com condenação já transitada em julgado.” Assim, o Timão busca reembolso da parcela depositada pela TV Globo: a emissora contribuiria com cerca de R$ 257 mil, em vez de R$ 1,54 milhão.

A Globo disse à Folha que “estes contratos possuem cláusulas de confidencialidade, mas prestamos todas as informações à Justiça quando somos demandados.” Já a Ambev afirmou que apenas cumpriu ordens judiciais.

Vencedor da Série A em 2017 e bicampeão paulista, Maycon disputou 105 jogos pelo Corinthians e foi vendido para o Shakhtar Donetsk-UCR em junho de 2018. (Foto: Divulgação)

Por fim, a BF2 também cobra R$ 92 mil referente à renovação de Maycon com o clube em 2017. Na petição, a empresa de Bruno e Fulvio Misorelli afirmou que o Timão, apesar das dívidas, segue oferecendo “salários gigantescos para atletas.”

A equipe, por sua vez, pontuou que “os reforços não inflaram a folha de pagamento do futebol, que está menor que a de dezembro de 2020, devido às saídas de jogadores no período.”

“O Corinthians está se valendo de todas as medidas legais para concretizar esses pagamentos de forma a manter o funcionamento do clube e a competitividade das suas equipes, o que é indispensável para obter maiores receitas, mais premiações e saldar compromissos”, completou.