Corinthians

Corinthians sofre uma média de 23 cruzamentos por jogo no Brasileirão

Gazeta
Gazeta Esportiva

31 de agosto de 2020 - 06:00 - Atualizado em 31 de agosto de 2020 - 11:00

Em cinco jogos pelo Campeonato Brasileiro, o Corinthians já viu a bola ser cruzada para sua área em 113 oportunidades. A média é de 23 cruzamentos por jogo.

Nas últimas três partidas, essa dificuldade em conter o avanço dos adversários pelas beiradas se refletiu em gols.

Coritiba, Fortaleza e São Paulo foram às redes depois de Fagner não conseguir evitar com que a bola fosse alçada, e Sidcley, nas três ocasiões, não acompanhou a cobertura no lado oposto da jogada.

Na final do Campeonato Paulista, o gol palmeirense também saiu desta maneira, com o cruzamento partindo do setor de Fagner. O destino, porém, não teve relação com o lateral esquerdo, e sim com Danilo Avelar, que perdeu no alto para Luiz Adriano.

Apesar de Fagner ainda não ter voltado a jogar bem desde de que se recuperou de uma lesão no tornozelo, a titularidade do experiente lateral é inquestionável.

O mesmo não pode se dizer de Sidcley. A saída de Carlos fragilizou o setor e a pressão para que Tiago Nunes dê novas oportunidades a Lucas Piton é cada vez mais forte.

“As circunstâncias dos gols foram diferentes, mesmo que a parte final tenha sido do lado direito para o esquerdo. Contra o Fortaleza foi um tiro de meta, contra o Coritiba foi um contra-ataque e hoje teve um erro coletivo da defesa, porque a jogada inicia na esquerda, depois roda para o lado direito e retorna para a área, onde estávamos três para três e tivemos a dificuldade na marcação, um efeito cascata, onde um jogador não pega um cara solto na área, acaba desdobrando todo o resto”, avaliou Tiago Nunes.

Na próxima quarta-feira, o Corinthians encara o Goiás, na Serrinha, ás 19h15.