Corinthians

Corinthians deve ganhar dois reforços para o setor ofensivo em julho

Gazeta
Gazeta Esportiva

26 de junho de 2021 - 08:00 - Atualizado em 26 de junho de 2021 - 08:15

No Corinthians não há dúvida de que o setor de ataque é aquele que mais necessita de reforços. Mas, o elenco deve ganhar, a partir de julho, duas novas opções: o atacante Gustavo Mantuan e o meia Ruan Oliveira.

Ambos estão em fase de transição, o último estágio antes da reintegração ao grupo. Nesse período, eles já têm alta dos médicos e fazem treinos de força, tanto na academia quanto no campo, sempre intercalando trabalhos com bola.

No clube, diante da falta de perspectiva por contratações, há muita confiança no potencial dos dois jovens jogadores, e esperança de que eles possam ser úteis ainda nessa temporada, independentemente de titularidade ou não.

Ruan Oliveira chegou ao Corinthians em 2019, para jogar no Sub-20

Opção para a armação

A história de Ruan Oliveira é bastante semelhante a de seu companheiro. O meia de 21 anos de idade teve a mesma lesão, rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho esquerdo, mas no fim de agosto.

A lance fatídico aconteceu durante um treino no CT Joaquim Grava. Ruan estava começando a ganhar espaço na equipe profissional e havia feito quatro partidas no Campeonato Brasileiro, uma delas como titular, diante do Fortaleza.

Destro, armador, Ruan é avaliado como um meia clássico, que chega de trás e auxilia na transição entre defesa e ataque.

Contratos

Gustavo Mantuan pertence ao Corinthians e tem contrato até janeiro de 2025, enquanto Ruan Oliveira tem vínculo com o Metropolitano, de Santa Catarina, e está emprestado ao Timão até 30 de junho de 2022.

Processo de transição

O primeiro a sair do departamento médico para iniciar o trabalho de transição foi Ruan Oliveira, que está em meio a esse processo desde o início de maio. Mantuan, por sua vez, recebeu a liberação dia 15 de junho.

Esse é um período que os preparadores não estipulam prazo, porque o atletas passam por testes, fazem manutenção, medem a dor e ganham confiança para vencer o receio que a lesão impõe. Cada um reage de uma maneira e há muito cuidado para não haver precipitação.

O lodo bom é que o passo seguinte é ficar à disposição para entrar em campo. E a esperança é que isso aconteça com a dupla durante o mês de julho.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.