Esportes

Corinthians busca feito improvável em Quito para ir à final da Copa Sul-Americana

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais

25 de setembro de 2019 - 00:00 - Atualizado em 25 de setembro de 2019 - 00:00

O Corinthians levou um baile em Itaquera no primeiro jogo da semifinal da Copa Sul-Americana, segundo a definição do próprio presidente do clube, Andrés Sanchez, para a derrota por 2 a 0 para o Independiente Del Valle. Nesta quarta-feira, às 21h30, os comandados de Fábio Carille tentarão reverter esse placar na altitude de Quito em busca de um lugar na decisão do torneio continental.

A tarefa não será fácil, especialmente se forem analisados os resultados do time alvinegro na temporada. Em 69 jogos no ano, somente em três o clube conseguiu o placar que o garantirá na decisão esta noite. Para não ser eliminado, o Corinthians precisa vencer por três gols de diferença, ou por dois, contanto que balance as redes do adversário por três ou mais vezes (3 a 1, 4 a 2, 5 a 3…) Isso porque na Sul-Americana existe a regra do gol fora de casa com maior peso para efeito de desempate em caso de igualdade do saldo do mata-mata.

Neste ano, o Corinthians não derrotou nenhum adversário por três ou mais gols. Mas bateu o Ceará por 3 a 1 (fora de casa, pela Copa do Brasil), o Avenida por 4 a 2 (em casa, pela Copa do Brasil) e o Fortaleza por 3 a 1 (fora, pelo Brasileirão).

Carille recordou duas adversidades recentes para destacar a capacidade de reação do time. “Como técnico, acho que estou há mais de 170 jogos aqui. O que vem na cabeça é o jogo do Avenida. Estávamos perdendo por 2 a 0 com sete minutos e viramos para 4 a 2. E o jogo do Racing lá (na primeira fase da Sul-Americana). O time deles liderando o Campeonato Argentino… Confesso que achava que não fosse passar. A gente saiu perdendo, o Racing buscava o jogo, e ganhamos nos pênaltis”, comentou sobre a vitória por 5 a 4 após o tempo normal terminar 1 a 1.

Na temporada, o Corinthians tem 32 vitórias, 15 empates e 22 derrotas. Marcou 103 gols e sofreu 72, o que dá uma média de 1,4 gol por jogo, insuficiente para a classificação hoje.

O Corinthians não joga em Quito há quase 20 anos. Mas a última vez que esteve na capital do Equador, a equipe conquistou um resultado que, se for repetido nesta noite de quarta, o levará para os pênaltis. Em 11 de abril de 2000, o time alvinegro bateu a LDU por 2 a 0, gols de Luizão e Dinei, pela Libertadores.

EVOLUÇÃO – O presidente Andrés Sanchez foi um dos principais críticos da atuação no jogo de ida, mas tratou de acabar com qualquer boato de que uma eventual eliminação pudesse causar a demissão de Carille. E aproveitou para provocar implicitamente o Palmeiras, que foi despachado pelo Grêmio da Libertadores nas quartas de final.

“Se pegar o jogo com o Santos na semifinal do Paulista e o do Del Valle foram nossas piores atuações da temporada. Todo mundo sabe. Mas vamos fortíssimos tentar reverter. Se não reverter, vamos voltar para disputar o Brasileiro de cabeça erguida, como já têm outros times bilionários que estão se dedicando só a ele”, disse o dirigente nesta terça-feira, em entrevista ao SporTV.

A vaga para a final pode ajudar o clube a diminuir o déficit anual, que hoje é de cerca de R$ 100 milhões. O clube já arrecadou até agora, só em classificações no torneio, R$ 10,1 milhões. O campeão recebe mais US$ 4 milhões (cerca de R$ 16,6 milhões na cotação atual) e o vice fica com a metade. O confronto desta quarta-feira terá transmissão ao vivo pela plataforma de streaming na internet DAZN.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.