Esportes

Conversas telefônicas de Robinho foram usadas pela Justiça Italiana em condenação por estupro

Gravações mostram Robinho fazendo “pouco caso” da acusação da jovem albanesa

Gazeta
Gazeta Esportiva Guilherme Almeida
Conversas telefônicas de Robinho foram usadas pela Justiça Italiana em condenação por estupro
Condenado por violência sexual, Robinho foi anunciado pelo Santos no último sábado (Foto:Reprodução Santos FC)

16 de outubro de 2020 - 12:27 - Atualizado em 16 de outubro de 2020 - 13:12

O site Globoesporte.com divulgou nesta sexta-feira uma série de conversas telefônicas transcritas usadas pela Justiça Italiana na condenação em primeira instância de Robinho e um amigo a nove anos de prisão por violência sexual de grupo contra uma jovem de origem albanesa.

O caso aconteceu no dia 22 de janeiro de 2013, em Milão. Os diálogos entre o atacante do Santos e Ricardo Falco, brasileiro também acusado do crime, foram cruciais no julgamento do caso.

Neles, os dois conversam em detalhes sobre o estupro e indicam que Robinho tinha consciência de que a vítima estava em estado de extrema embriaguez.

Atenção, a conversa transcrita a seguir contém declarações fortes.

Falco: “Ela se lembra da situação. Ela sabe que todos transaram com ela”.

Robinho: “O (NOME DE AMIGO 1) tenho certeza que g… dentro dela”.

Falco: “Não acredito. Naquele dia ela não conseguia fazer nada, nem mesmo ficar em pé, ela estava realmente fora de si”.

Robinho: “Sim”.

Interrogado em abril de 2014, Robinho nega as acusações e afirma que a relação sexual que estabeleceu com a vítima foi de sexo oral e consensual. Ricardo Falco teve a presença de seu sêmen identificada nas roupas da jovem.

Uma outra interceptação telefônica revelou uma conversa com o músico Jairo Chagas, que se apresentava na boate naquela noite, na qual ele alerta o atacante sobre o início das investigações na Itália. Robinho debocha e diz: “Estou rindo porque não estou nem aí, a mulher estava completamente bêbada, não sabe nem o que aconteceu”.

Ele completa: “Olha, os caras estão na m… Ainda bem que existe Deus, porque eu nem toquei aquela garota. Vi (NOME DE AMIGO 2), e os outros f… ela, eles vão ter problemas, não eu… Lembro que os caras que pegaram ela foram (NOME DE AMIGO 1) e (NOME DE AMIGO 2)…. Eram cinco em cima dela”.

Em janeiro de 2014, outra conversa entre o músico e o jogador foi capturada.

Robinho: “A polícia não pode dizer nada, eu direi que estava com você e depois fui para casa”.

Jairo: “Mas você também transou com a mulher?”

Robinho: “Não, eu tentei. (NOME DE AMIGO 1), (NOME DE AMIGO 2), (NOME DE AMIGO 3)…”

Jairo: “Eu te vi quando colocava o pênis dentro da boca dela”.

Robinho: “Isso não significa transar”.

Em depoimento, a jovem albanesa revela que estava na boate comemorando seu aniversário de 23 anos ao lado de amigas.
Ela afirmou que conheceu Robinho ainda em 2011, durante outra festa, e que ele já havia se comportado de maneira invasiva com ela.
Ela revelou que só lembra de “alguns flashes daquela noite”, e que não tinha condições de “falar” nem de “ficar em pé”. O estupro teria ocorrido dentro do camarim usado pelo músico Jairo Chagas.

“Acredito que no início estivesse fazendo sexo oral em [NOME DO AMIGO 3], e Robinho aproveitava de mim de outro modo, e depois eles trocaram de papel, dali não me recordo mais nada porque me encontrei rodeada pelos rapazes, não sabia o que acontecia”, disse a vítima no depoimento

De acordo com a defesa do jogador, a sentença aplicada pelo Tribunal de Milão não é definitiva. Enquanto não há uma reavaliação, os advogados apontam que Robinho deve ser considerado inocente, conforme a legislação italiana.