Bastidores

Casares não teme punição da Fifa ao São Paulo por dívidas: “Temos investidores”

Gazeta
Gazeta Esportiva

9 de abril de 2021 - 07:00 - Atualizado em 9 de abril de 2021 - 07:15

Nos últimos tempos a famosa punição da Fifa a clubes por causa de dívidas se tornou popular no futebol brasileiro. A vítima da vez pode ser o São Paulo. Devendo ao Dinamo de Kiev a compra de Tchê Tchê, o Tricolor pode ter o direito de contratar suspenso pela entidade máxima do futebol como punição, mas o presidente Julio Casares está confiante de que o time do Morumbi não ficará proibido de ir ao mercado.

“O São Paulo tem caminhos, estamos conversando com o pessoal do Dínamo [de Kiev]. Claro que são caminhos duros, por isso não adianta fazer esforço, hoje o cenário é assim, cobertor curto, cobre os pés, mas deixa a cabeça pra fora. Temos uma linha de reserva, de investidores para que cubram esses aspectos que possam nos trazer prejuízos”, disse Casares em entrevista à Goal.

Sem receber os R$ 22 milhões acordados pela compra de Tchê Tchê, o Dinamo de Kiev resolveu entrar com uma ação na Fifa para reclamar do seu direito. O Orlando City, dos EUA, também tem um valor milionário a receber pelo empréstimo de Kaká ao São Paulo, antes de o meia se apresentar como reforço da equipe norte-americana.

Apesar de enfrentar grave crise financeira, a atual gestão tem como uma de suas premissas o pagamento das dívidas são-paulinas. Cortando custos e sendo obrigado e negociar jovens valores, o presidente Julio Casares, com medidas de austeridade financeira, parece ganhar a confiança de credores.

“Os credores, vendo essa postura, já estão negociando com a gente. Estamos abrindo os números de forma transparente, e assim é com os atletas. Tomara que possamos surpreender no pagamento de algumas parcelas, antecipar pagamentos tendo uma receita acima do previsto”, completou.