Campeonato Paranaense

Rumo ao Athletiba: veja como foi a campanha do Athletico até a final

Resultados representam uma mescla de goleadas, testes e decepções em clássicos

Vinicíus
Vinicíus Moschen
Rumo ao Athletiba: veja como foi a campanha do Athletico até a final
Bissoli é um dos artilheiros da equipe com seis gols. Imagem: Divulgação/Site Oficial do Athletico Paranaense

1 de agosto de 2020 - 10:00 - Atualizado em 1 de agosto de 2020 - 10:23

Bissoli é um dos artilheiros da equipe com seis gols. Imagem: Divulgação/Site Oficial do Athletico Paranaense

Ao longo dos sete meses de duração do Campeonato Paranaense, o Athletico viveu momentos bastante distintos entre si. No total foram nove vitórias, três empates e três derrotas, incluindo a primeira fase e o mata-mata.

A jornada do Athletico começou fora de casa, contra o União em Francisco Beltrão. Foi uma boa estreia para a equipe de aspirantes, que contava com muitos jogadores estreantes. A vitória por 3 a 1 foi construída com dois gols de Pedrinho e um de Kleiton. Foi somente na segunda rodada que a equipe jogou na Arena da Baixada, contra o recém promovido PSTC: quem esperava uma partida tranquila se surpreendeu com uma postura defensiva bastante razoável do time de Cornélio Procópio. A vitória saiu com gol único somente aos 27 minutos do segundo tempo – o meia Christian marcou um dos gols mais bonitos do campeonato:

Com seis pontos em duas partidas, o Athletico chegou embalado para enfrentar o Londrina, também na Arena da Baixada. Em um dos jogos mais agitados da primeira fase, a vitória por 4 a 1 veio com certa tranquilidade, mesmo com o susto do pênalti a favor da equipe londrinense na primeira etapa. A batida foi defendida pelo goleiro Anderson, mas se a bola entrasse a partida poderia ter sido mais complicada. Ao final da terceira rodada, nove pontos na bagagem e liderança isolada.

A primeira derrota veio no interior do estado, na partida contra o Cianorte. Com atuação pouco inspirada, a equipe perdeu por 3 a 1, de virada. A liderança ainda era do Athletico, mas a invencibilidade tinha caído.

O primeiro clássico do ano estava marcado para a quinta rodada, contra o Paraná Clube na Arena. Era o primeiro desafio da equipe principal na temporada. O favoritismo era grande, especialmente por conta do Tricolor poupar seus titulares visando um confronto de meio de semana pela primeira fase da Copa do Brasil. O gol de Lucas Halter logo aos dois minutos do primeiro tempo dava a impressão de goleada, mas a equipe não conseguiu aumentar o marcador e ainda levou o gol de Marcelo, aos 45 do segundo tempo. Empate amargo e liderança perdida. Relembre o jogo a seguir:

A sequência de maus resultados seguiu para a próxima rodada, contra o FC Cascavel. No retorno da equipe de aspirantes, a derrota por 1 a 0 representou uma atuação pouco organizada, até por conta de mudanças táticas promovidas pelo treinador Eduardo Barros.

A partir daí a equipe emendou uma sequência de bons resultados contra equipes do interior: 3 a 0 contra o Toledo, 5 a 1 contra o Cascavel CR, 3 a 1 contra o Operário e 1 a 0 contra o Rio Branco. A expectativa para o Athletiba da última rodada estava criada.

No dia 15 de março aconteceu a partida no Couto Pereira, já com portões fechados por conta da pandemia de COVID-19. No que foi a pior atuação da temporada, o Athletico perdeu por 4 a 0 e dava adeus à possibilidade de terminar a primeira fase na liderança. Terminou somente em terceiro, e o chaveamento colocava o Londrina no caminho das quartas de final. 

Nesse momento o campeonato foi paralisado, e quatro meses se passaram até o início do mata-mata, em julho. Nesse intervalo, a estratégia interna do Athletico para o campeonato mudou completamente. Dissolveu-se a equipe de aspirantes, e todos os jogos seguintes seriam disputados pela equipe principal, já em preparação para o Campeonato Brasileiro e Libertadores.

Mais uma vez o Athletico sofreria com gol tomado no apagar das luzes. O que seria uma vitória importante fora de casa contra o Londrina, tornou-se um empate com gosto de derrota contra uma equipe que havia recomeçado os treinos somente uma semana antes da partida. 1 a 1, e a decisão da vaga ficaria para a Arena. Em casa, o Athletico resolveu o confronto no primeiro tempo, com um passeio por 5 a 0. Semifinal garantida, e o próximo adversário seria o FC Cascavel.

A boa campanha da equipe do oeste do estado garantiu a vantagem de decidir em casa, e por isso o primeiro jogo seria na Arena. Uma goleada por 5 a 1 tranquilizou as coisas para a segunda partida, um 0 a 0 que não ficará marcado na história.

Agora chegou a hora da grande final. Você pode acompanhar os dois Athletibas decisivos do Campeonato Paranaense pelo DAZN, e também na transmissão do portal RIC Mais em parceria com a Rádio Triboleiros. A primeira partida acontece no domingo (02), às 16h.