Esportes

Brasileiros chegam em terceiro na etapa-maratona do Rally Dakar

Gazeta
Gazeta Esportiva

11 de janeiro de 2021 - 17:04 - Atualizado em 11 de janeiro de 2021 - 17:15

Os brasileiros Reinaldo Varela e Maykel Justo terminaram em terceiro lugar a oitava etapa do Rally Dakar, que segue em disputa no território da Arábia Saudita até a próxima sexta-feira, dia 15 de janeiro. A vitória desta segunda-feira na categoria UTV foi da dupla chilena Francisco Contardo/Juan Pablo Vinagre. Os russos Sergei Kariakin e Anton Vlasiuk chegaram no segundo lugar. A liderança na classificação geral passou pela primeira vez para as mãos da dupla formada pelo norte-americano Austin Jones e o navegador brasileiro Gustavo Gugelmin.

Varela e Maykel, que seguem no sexto posto da classificação geral, chegaram a liderar a prova entre os km 122 e 307 da especial de 375km, repetindo os bons desempenhos anteriores nesta edição do Dakar. “Ontem (domingo), a primeira parte da maratona foi de Há’il a Sakaka, somando 737km no total. E hoje terminamos a maratona indo de Sakaka a Neon, com mais 709km de percurso nos dois casos incluindo as especiais e os deslocamentos. Foram mais de 1.400km sem apoio das equipes. Nosso UTV se saiu muito bem, porque foi muito exigido e aguentou firme”, opinou Varela.

A dificuldade da prova se dá, principalmente, no que acontece nas pistas e exige o desempenho individual dos pilotos. “Nas etapas-maratona, que geralmente são compostas de dois dias, as duplas não podem contar com a assistência das equipes. Elas são o maior teste para o equipamento e, se o carro quebra, você tem que se virar sozinho”, acrescentou o piloto da equipe Monster Energy Can-Am.

A continuidade da maratona acontecerá nesta terça-feira, com um percurso no qual os competidores largam e terminam no mesmo local. “Largaremos de Neon, onde chegamos nesta segunda-feira, para percorrer 574km de distância, retornando a Neon no final do dia. Desta quilometragem, 465km comporão a especial. O trajeto segue para o interior, em direção à zona desértica de Al Hishma, e depois faz uma curva em direção ao Mar Vermelho, para a seguir costear a praia em direção a Neon novamente. Dizem que esta será uma das especiais mais difíceis do Dakar. É o que vamos descobrir amanhã”, detalhou o navegador Maykel Justo.

Disputada inteiramente na Arábia, a 43ª edição do Dakar terá em seus 7.646km um total de 4.767km de especiais – trechos cronometrados em alta velocidade. Os restantes 2.879km são correspondentes aos deslocamentos entre os pontos de largada e chegada em cada um dos doze dias. O roteiro da prova começa e termina Jedá.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.