Botafogo

Botafogo empata com Ceará em casa pelo Campeonato Brasileiro e segue em crise

Gazeta
Gazeta Esportiva

31 de outubro de 2020 - 19:06 - Atualizado em 31 de outubro de 2020 - 19:15

O sábado com tempo carregado no Rio de Janeiro, com pancadas de chuva, reflete a situação do Botafogo. O clima continua tenso, dentro e fora de campo. Em um dia que começou com protesto da torcida na sede em General Severiano, o Fogão ficou na frente por duas vezes, mas empatou com o Ceará por 2 a 2, no Estádio Nilton Santos, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. Um resultado que não afasta as nuvens pesadas do ambiente alvinegro.

O Botafogo continua perto da zona de rebaixamento do Brasileiro. Com 20 pontos em 18 jogos, o Fogão ocupa a 14ª colocação e pode perder posições no complemento da rodada. E ainda tem a missão de contratar um técnico: Flávio Tênius, preparador de goleiros, foi interino contra o Ceará. Isso sem falar no nublado tempo sobre o projeto do Botafogo de virar S/A, intenção de virar empresa para melhorar o lado administrativo e econômico.

O Ceará tem 23 pontos, em 18 jogos, e ocupa a 10ª colocação. Uma campanha, até aqui, sólida, que busca até mesmo uma aproximação com o G-6, que dá vaga para a Libertadores.

Na próxima rodada do Brasileiro, o Botafogo vai enfrentar o Bahia, domingo, dia 8, às 18h15, no Pituaçu. Antes, decide vaga na Copa do Brasil: faz o jogo de volta das oitavas de final contra o Cuiabá, nesta terça-feira, às 19h, na Arena Pantanal. O Fogão perdeu o jogo de ida por 1 a 0. Já o Ceará, pelo Brasileirão, vai receber o Sport, domingo, às 20h30. E o Vozão também tem compromisso pela Copa do Brasil no meio de semana: encara o Santos, no Castelão, nesta quarta-feira, às 19h. A partida de ida foi 0 a 0.

Botafogo é superior no primeiro tempo

Na condição de interino, enquanto o Botafogo procura um novo técnico, o preparador de goleiros Flávio Tênius promoveu mudanças no time titular e apostou em velocidade nas pontas, com Lecaros e Warley, com Honda e Bruno Nazário trabalhando na criação. Deu certo no primeiro tempo.

A primeira chance de perigo foi do Botafogo. Warley chutou da entrada da área e obrigou Fernando Prass a se virar. Poucos minutos depois, Lecaros foi derrubado na área. O árbitro Diogo Pombo Lopez nada marcou, mas o VAR, comandado por Márcio Henrique de Gois, entrou em ação e recomendou a revisão do lance. O juiz, então, deu pênalti. Honda, que chamava a responsabilidade no início do jogo, bateu e fez 1 a 0 Botafogo, aos 15 minutos.

O Ceará pouco criava, mas chegou ao gol de empate em jogada individual de Cléber. Ele recebeu, ajeitou para o meio e acertou um chute sem chance para Cavalieri: 1 a 1, aos 22 minutos. O Botafogo não sentiu o golpe e voltou a ficar à frente do placar cinco minutos depois. Pela direita, Bruno Nazário cruzou para área e Matheus Babi cabeceou como manda o figurino, para baixo, no canto, inapelável: 2 a 1.

O Botafogo controlava o jogo e teve tudo para ampliar o placar. Victor Luis cruzou pela esquerda e a bola explodiu no braço de Eduardo. O VAR recomendou a revisão de lance. Novo pênalti. Desta vez, Victor Luis pegou a bola de Honda e foi para cobrança. O lateral bateu com força e isolou, aos 36 minutos. Na reta final da primeira etapa, Flávio Tênius foi obrigado a mexer. Lecaros sentiu após falta cometida por Luiz Otávio e deu lugar a Kelvin.

Botafogo leva novo empate

O Ceará fez duas mudanças no intervalo. Guto Ferreira colocou Leandro Carvalho e Rick. Saíram Lima e Léo Chú. E deu certo. Aos cinco minutos, Vina lançou Leandro Carvalho, que chutou na saída de Cavalieri para empatar o jogo: 2 a 2. O Botafogo teve de lidar com a “lei do ex”. Leandro defendeu o Fogão em 2018 e 2019.

O Botafogo respondeu com Caio Alexandre. O volante aproveitou erro da zaga rival e chutou, mas Fernando Prass defendeu. Depois foi a vez de Honda levar perigo em cobrança de falta. A bola desviou e foi para fora. O jogo ficou franco. Em jogada de velocidade pela direita, Kevin cruzou e achou Warley invadindo a área. O chute, porém, foi para fora.

A resposta do Ceará foi em cobrança de falta. Vina levantou para Tiago, que cabeceou para defesa de Cavalieri. Na sequência, Cléber completou para fora. Flávio Tênius promoveu duas estreias. Ele colocou Zé Welison e Angulo, reforços que chegaram ao clube nesta semana. Saíram Honda e Warley.

O Botafogo ficou com um jogador a mais em campo. O zagueiro Luiz Otávio acertou Caio Alexandre e recebeu o segundo cartão amarelo, sendo expulso. Flávio tirou o volante Caio Alexandre e colocou o centroavante Pedro Raul. Porém, o Botafogo não conseguiu o gol da virada. Kelvin parou em Fernando Prass. O estreante Angulo foi expulso nos acréscimos.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 2X2 CEARÁ

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Data: Sábado, 31/10/2020

Horário: 17h (Brasília)

Árbitro: Diogo Pombo Lopez (BA)

Assistentes: Bruno Boschillia (PR) e Elicarlos Franco de Oliveira (BA)

VAR: Márcio Henrique de Gois (SP)

Cartões amarelos: Bruno Nazário, Marcelo Benevenuto, Honda e Angulo (Botafogo) e Tiago, Guto Ferreira, Leandro Carvalho, Fabinho e Wescley (Ceará)

Cartão vermelho: Luiz Otávio (Ceará) e Angulo (Botafogo)

Gols:

Botafogo: Honda, aos 15 minutos do 1º tempo, e Matheus Babi, aos 27 minutos do 1º tempo

Ceará: Cléber, aos 22 minutos do 1º tempo, e Leandro Carvalho, aos 5 minutos do 2º tempo

BOTAFOGO: Diego Cavalieri; Kevin, Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luis; Caio Alexandre (Pedro Raul), Honda (Zé Welison) e Bruno Nazário; Lecaros (Kelvin), Warley (Angulo) e Matheus Babi.

Técnico: Flávio Tênius.

CEARÁ: Fernando Prass; Eduardo, Tiago, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Fabinho (Fernando Sobral), Charles e Vina (Wescley); Lima (Leandro Carvalho e depois Eduardo Brock), Léo Chú (Rick) e Cléber.

Técnico: Guto Ferreira.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.