Esportes

Athletico e Coritiba ficam em quinto lugar no ranking de infrações ao protocolo contra Covid-19

Motivos das infrações são variados, como falta do uso de máscaras, troca de camisas e desrespeito ao distanciamento social; valores serão destinados a instituições de caridade

Guilherme
Guilherme Almeida
Athletico e Coritiba ficam em quinto lugar no ranking de infrações ao protocolo contra Covid-19
Dupla atletiba levou nove processos por infrações ao protocolo de Covid-19 (Foto: Reprodução/Coritiba)

23 de junho de 2021 - 16:11 - Atualizado em 23 de junho de 2021 - 16:12

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) divulgou na terça-feira (22), o balanço das transações nos processos por descumprimento do protocolo da covid-19 nas competições nacionais em 2020. Chama a atenção a presença de Athletico e Coritiba no topo do ranking, ambos em quinto lugar.

O protocolo sanitário da CBF para retorno com segurança do futebol brasileiro foi implementado em forma de Diretriz Técnica Operacional em julho de 2020 e, desde então, o descumprimento gerou Notícia de Infração e, em consequência, denúncia aos clubes.

Ao todo foram recebidas 190 Notícias de Infração da Diretoria de Competições da CBF que gerou o total de 234 processos disciplinares.

Em transação acordada entre clubes e Procuradoria as multas somaram pouco mais de R$ 1 milhão em doações, que serão revertidas para diversas instituições pelo país.

No topo do ranking

Todos os 20 clubes que disputaram a última Série A estiveram presentes no ranking de infrações. Athletico e Coritiba ficaram no topo do ranking, na quinta posição, ambos com nove processos. Na liderança do ranking, estão São Paulo e Internacional, ambos com 15 processos.

Entre os clubes que disputaram a Série B, apenas CSA e Sampaio Corrêa não foram notificados. O Paraná Clube em décimo segundo, com dois processos, enquanto que o Operário ficou na última posição, décima terceira, com apenas um processo.

Motivos variados

O STJD não especificou quais os fatores que levaram aos respectivos nove processos de Athletico e Coritiba, porém, o ranking com os principais motivos ficou assim:

  1. Troca de camisas
  2. Não utilização ou uso indevido de máscaras
  3. Desrespeito ao distanciamento entre jogadores reservas ou membros da comissão técnica
  4. Atividades no gramado
  5. Número de pessoas na delegação maior do que o permitido

Valores

A Procuradoria ofereceu transação disciplinar a todos os clubes denunciados.

Na transação, o acordo foi de pagamento de multa de R$ 2,5 mil, sendo que esse valor dobraria em caso de reincidência, podendo chegar a até R$ 20 mil em uma única partida.

Com isso, Athletico e Coritiba precisaram pagar, cada um, respectivamente, R$ 51 mil e R$ 20 mil. Paraná Clube e Operário tiveram que desembolsar a quantia de R$ 2.500.

Bela iniciativa

A soma das transações ficou no total de R$ 1.131.000,00, que foi distribuído para diversas instituições de norte a sul do país.

Vice-presidente administrativo do STJD e responsável por homologar as transações, Felipe Bevilacqua falou sobre a parte social do Tribunal do Futebol.

“O STJD nas últimas gestões tem cada vez mais atuado no aspecto social em conjunto com instituições de caridade espalhadas por todo o país. A quebra de protocolo foi mais uma forma de ajudar tantas entidades que estão passando por dificuldades durante a pandemia da covid-19. Que consigamos cada vez mais usar a Justiça Desportiva como mecanismo de ajuda ao próximo”.

Confira o ranking completo e as instituições contempladas na iniciativa no site do STJD.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.