Esportes

Apesar da derrota, auxiliar Marcelo Fernandes exalta atuação dos reservas do Santos

Gazeta
Gazeta Esportiva

21 de novembro de 2020 - 22:16 - Atualizado em 22 de novembro de 2020 - 00:00

Jogando com um time alternativo, o Santos foi derrotado neste sábado para o Athletico-PR, na Arena da Baixada, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro. Em entrevista coletiva após a partida, o auxiliar Marcelo Fernandes lamentou o revés, mas elogiou a atuação da equipe.

“A molecada veio com muita vontade de jogar, fizemos um bom jogo naquilo que nos propusemos. A equipe se portou muito bem no primeiro tempo, tivemos oportunidades, voltamos para o segundo tempo sabendo que o Athletico dentro de casa seria um adversário difícil. Mas o time se portou muito bem. O Athletico aproveitou as chances que teve. O resultado é normal, mas não nos contentamos com isso, viemos para conquistar os três pontos. Se desse um empate, com certeza seria de bom tamanho”, declarou o auxiliar de Cuca, que segue em repouso após contrair a covid-19.

“A estratégia é montada em cima dos problemas que temos diariamente. O Santos sempre propôs jogo, sempre foi uma equipe que marca em cima. Hoje tentamos, o propósito era marcar a saída de bola em cima, mas um monte de situações e circunstâncias nos levam a pensar na melhor estratégia. Agora é esperar, pegar o voo e lá a gente vê o que é melhor. É um outro tipo de campeonato, são dois jogos, temos que fazer um bom jogo para chegar na Vila e sacramentar a classificação”, explicou.

O Santos enfrentou o Furacão com uma equipe alternativa com o intuito de preservar os atletas para a Copa Libertadores. Na próxima terça-feira, às 19h15 (de Brasília), o Peixe visita a LDU no Equador, pela ida das oitavas de final.

Com desfalques e jogadores recém-recuperados da covid-19, Marcelo Fernandes apontou a falta de entrosamento como um dos fatores determinantes para a derrota em Curitiba.

“(A falta de entrosamento) prejudica muito. Quem trabalhou de manhã teve que vir para o jogo, muitos já não vão para Quito. Logicamente que atrapalha colocar um time diferente toda hora, tivemos que adaptar o Jobson ali na meia, Balieiro foi muito bem junto com o Ivonei. A adaptação tem que ser jogo a jogo. Durante a semana, não tivemos tempo para treinar por causa de testes, chuva”, disse o auxiliar, que exaltou os garotos pelo desempenho nas últimas rodadas.

“Só podemos bater palmas para essa molecada. Esses dois jogos foram muitos difíceis, com muitas frentes para resolver, e eles deram conta do recado. Infelizmente tomamos um gol de bola parada. É dar valor para essa molecada, o time correu muito, se esforçou, tivemos oportunidades, mas fomos surpreendidos com esse gol”, concluiu.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.