Bastidores

Antônio Carlos conta sobre partida mais louca de sua vida

Gazeta
Gazeta Esportiva

24 de novembro de 2020 - 20:00 - Atualizado em 25 de novembro de 2020 - 11:45

Convidado da live da Gazeta Esportiva desta terça-feira, o zagueiro Antônio Carlos esteve presente em um dos jogos mais malucos do futebol. A partida entre Orlando City e New York City foi decidida nos pênaltis, e durante as cobranças, o goleiro do Orlando foi expulso, pelo segundo cartão amarelo, após se adiantar e defender a batida. O zagueiro contou como foi presenciar tudo isso dentro de campo.

“Foi uma loucura. Desde os 75, 80 minutos a gente ficou com um a menos, nosso lateral foi expulso. Jogo estava 1 a 1, controlado, mas aí aconteceu a expulsão e ficou meio maluco. Aí fomos para o tempo extra, tive uma chance no último minuto, quase fiz o gol. Mas fomos pros pênaltis, naquela agonia. O professor passou os batedores, eu bati bem, meus companheiros também. Mas aí começou”. 

Ver essa foto no Instagram

“Falaram que o Pedro (Galesse) se adiantou, eu não vi. E o que acontece é que cada país tem uma regra. No Brasil, para o goleiro tomar cartão tem que adiantar duas vezes. E eu achei estranho. Do nada o nosso goleiro foi expulso. E aí não podia fazer a substituição no meio dos pênaltis, não deixaram o reserva entrar e foi o zagueiro para o gol”.

Depois da expulsão do goleiro peruano, quem ficou responsável por defender as penalidades foi o defensor Rodrigo Schlegel. O argentino tomou dois gols, mas conseguiu defender o terceiro, garantindo a classificação histórica do Orlando City. Nem na época de Kaká o time havia conseguido chegar às semifinais da Conferência Leste.

“O Nani bateu e perdeu, se ele faz a gente já ganhava. Ele bateu bem, mas o goleiro foi muito bem também. Aí no terceiro pênalti nosso zagueiro pegou. E eu tirei a camisa três vezes para comemorar, de tanta loucura. Tirei a camisa quando o goleiro pegou e o juiz mandou voltar, tirei quando o zagueiro pegou e depois quando acabou. Foi extremamente doido. Futebol é isso. Amor, paixão, é uma coisa inexplicável, por isso que eu amo cada vez mais jogar isso. Que emoção!”

A vitória emocionante entrou para a história do futebol e ficará marcada para sempre na memória de Antônio Carlos. O jogador conta que já havia ouvido histórias como essas, mas que foi a primeira vez que pode vivenciar algo deste tipo. Relatou ainda que não conseguiu dormir naquele dia por conta de toda a emoção sentida em campo.

“Eu já tinha ouvido histórias. O Felipe Melo falou que já agarrou pênalti também, lá no Galatasaray. Só que eu não tinha vivido isso. Hoje eu vivi. E cara, é louco. O jogo foi meio dia daqui, e eu não consegui dormir. Cansaço de 120 minutos. Mas toda a loucura do jogo eu senti o dia inteiro. Comemorei bastante, mas não consegui dormir no dia”.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.