Bastidores

Andrés gosta de Dunga, como pessoa e técnico, mas já fez ressalva pelo atrito com a imprensa

Gazeta
Gazeta Esportiva

11 de outubro de 2020 - 06:00 - Atualizado em 11 de outubro de 2020 - 06:15

Enquanto o Corinthians não contrata um novo técnico, as especulações em cima de alguns postulantes ao cargo não param. Um dos nomes mais citados é o de Dunga, que já negou ter havido qualquer negociação neste sentido, pelo menos por ora, mas que admitiu também a satisfação por ter sido lembrado, mesmo que apenas pela imprensa.

A Gazeta Esportiva apurou que o capitão do Tetra tem boa relação com Andrés Sanchez, presidente corintiano. Durante um período de convívio na Seleção Brasileira, Andrés e Dunga se tornaram amigos e adquiriram respeito um pelo outro.

Aliás, em 2010, durante a preparação para a Copa do Mundo da África, um dos raros momentos de descontração do técnico em uma entrevista coletiva aconteceu justamente por causa de Andrés.

“O que eu faço mais aqui é trabalhar e de vez em quando vou à academia. Para vocês terem uma ideia, estou até levando o chefe da delegação comigo. Ele vai voltar em forma para o Brasil”.

Depois do fracasso no Mundial, Dunga deixou o cargo, mas Andrés continuou ligado à CBF e falou sobre o treinador ao O Globo, à época.

“Pessoa sincera, de trato olho no olho. Mas não achei correto essa busca do confronto com a imprensa, de dificultar o trabalho dos jornalistas. Esta é a minha opinião. Não vou dizer que estava certo ou errado. É o conceito dele de trabalhar. Não se pode ter nada em excesso… Estamos na face da Terra para achar o equilíbrio. E o Dunga, com o tempo, achará o seu equilíbrio também”.

Nos bastidores, Andrés nunca escondeu ter gostado do trabalho de Dunga como técnico. O presidente do Corinthians acompanhou o ex-volante de perto e chegou a comentar o quão percebia Dunga preparado e competente. De fato, a única ressalva feita sempre esteve ligada ao comportamento de Dunga com os jornalistas.

Andrés Sanchez tem mantido sigilo sobre suas intenções quanto ao tema. A Gazeta Esportiva explicou que o pouco tempo de mandato, as pedidas salariais e até multas contratuais têm criado obstáculos ao clube.

Dunga não trabalha como técnico desde 2016, quando comandou a Seleção Brasileira na frustrante campanha da Copa América Centenário. O Internacional de Porto Alegre, em 2013, foi sua última atuação como técnico de um clube.

Enquanto isso, Dyego Coelho segue no comando. Neste domingo, o Timão pega o Ceará, no Castelão, às 20h30 (horário de Brasília), em duelo direto contra a zona do rebaixamento.