Esportes

Abel e Gómez veem ansiedade como normal e falam em “desfrutar” final da Libertadores

Gazeta
Gazeta Esportiva

30 de janeiro de 2021 - 04:00 - Atualizado em 30 de janeiro de 2021 - 09:30

A ansiedade já começou a tomar conta dos jogadores de Palmeiras e Santos na véspera da final da Libertadores. A inquietação, no entanto, foi considerada normal por Abel Ferreira e Gustavo Gómez. Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, os representantes alviverdes garantiram que a ânsia antes da decisão faz parte da preparação.

“Não muda nada, a gente está trabalhando, descansando bem, nos hidratando para fazer um grande jogo. A ansiedade está aí, mas a gente trata também de desfrutar o momento, que é único. Poucos jogadores conseguem jogar uma final de Libertadores. Tem pressão e ansiedade, mas a gente também trata de desfrutar esse momento aqui”, disse Gómez ao responder se a ausência de torcedores por conta da pandemia de coronavírus impactava na preparação alviverde.

“Essa ansiedade é normal. É normal para qualquer ser-humano. É comigo, com Tite, Klopp, Mourinho, Neymar, Messi e Ronaldo, porque estão nas decisões. O que nós sentimos nesse momento é normal”, pontuou Abel.

O técnico português ainda destacou a identidade de jogo atual do Verdão. O comandante assegurou que a equipe jogar a final da mesma forma que todos os outros jogos que disputou no torneio.

“Cada jogo tem uma história diferente, e eu farei o que sempre fiz em todos os jogos. Temos de preparar todos os jogadores, estar atento aos detalhes, seguir os mesmos rituais e acreditar nos protagonistas, que são os jogadores. Amanhã, mais do que nunca, temos de focar primeiramente em nós. Temos de ser fieis à nossa identidade e à nossa forma de atacar e de defender. Independentemente de como o adversário jogará, ficará a nossa identidade”, afirmou.

Por fim, Abel Ferreira reiterou parte do que foi dito por Gustavo Gómez. O português disse que está participando de um momento único e, por isso, quer desfrutar intensamente.

“Estamos aqui por conta dos jogos que fizemos. Não alteraremos a forma de pensar, a equipe que acreditamos nos trouxe até aqui. É midiático, é a primeira vez que tenho tantos jornalistas na minha frente. É diferente de um jogo normal, recebi mensagens de várias pessoas, mas nós, que somos profissionais, temos de ter o mesmo foco. Eu prefiro sentir toda essa emoção, ansiedade, do que estar em casa no sofá vendo as finais. Estamos aqui por méritos próprios, temos de desfrutar e viver isso com alegria, intensidade e prazer. Temos de fazer um jogo com prazer e equilibrados. É um jogo único, mas o nosso objetivo, além de chegar à final, é chegar e ganhar”, concluiu.

Palmeiras e Santos se enfrentam no sábado, às 17h (de Brasília), no Maracanã. Como a final será disputada em jogo único, um empate levará o confronto para a prorrogação. Caso a igualdade permaneça, o campeão da Libertadores será decidido na disputa de pênaltis.

Informamos aos nossos visitantes que nosso site utiliza cookies. Ao usar nosso site, você concorda com nossos Termos de Uso. A maioria dos navegadores aceita cookies automaticamente. Para ver quais cookies utilizamos, acesse nossa Política de Privacidade.