Publieditoriais

Maringá: A cidade verde

Conheça os principais pontos naturais de Maringá e como a cultura estrangeira impactou diretamente o desenvolvimento da região

Redação RIC Mais
Redação RIC Mais
Maringá: A cidade verde

4 de maio de 2022 - 17:25 - Atualizado em 10 de maio de 2022 - 15:39

Uma cidade verde! Que respira um ar saudável e que busca ser referência em sua natureza, sendo uma das cidades mais arborizadas do Brasil. Maringá, exala sustentabilidade natural, oferecendo um vasto campo verde em seu território

Possuir a nomenclatura de cidade ambiental é um privilégio, as áreas verdes de uma cidade são de suma importância para o ecossistema dessa região, pois, é nelas que encontramos responsabilidades essenciais tanto para o ambiente, quanto para nós. 

Elas enfraquecem a poluição provocada por inúmeros fatores metropolitanos, equilibra as temperaturas do ecossistema da região, e atua também fornecendo maiores possibilidades hídricas. A cidade de Maringá é referência como já dissemos. São cerca de 19 áreas verdes espalhadas por todo o município, que juntas equivalem a 173 campos de futebol, ou em conjunto, formam uma floresta de 1,8 milhão de metros quadrados. 

Principais áreas verdes de Maringá

Com tanto o que se falar, separamos dois dos mais importantes ambientes verdes localizados em Maringá para comentar. O primeiro deles é o Parque do Ingá, inaugurado em 1971, e um dos cartões postais da cidade. Nele, além da imensidão verde, o Ingá ainda conta com estação de saúde e um museu biológico. 

O segundo carrega consigo uma grande representatividade histórica e colonial de Maringá. O Parque do Japão é uma homenagem aos mais de 400 mil descendentes da imigração japonesa na região noroeste do Paraná. O Parque foi totalmente planejado para remeter às características ecológicas e estruturais do Japão. São 100 mil metros quadrados que ficam à disposição para visitas de terça-feira a domingo.    

A influência japonesa na região é grande! Em 1973, Maringá e Kakogawa, localizada na província de Hyogo, no Japão, realizaram um acordo de irmandade onde o foco era a troca de relações econômicas, sociais e culturais entre ambas as cidades.    

Bom, é importante lembrar que todo esse ecossistema verde e de grande riqueza cultural chegou às proporções atuais, graças a quem esteve à frente da liderança da cidade. Os órgãos públicos gerenciam, conservam e criam saídas para um ambiente mais sustentável e natural. 

Maringá é rica, e está em constante desenvolvimento, embora, sua maior riqueza está no chamado “ouro verde”, conduzindo seus habitantes a um futuro melhor.