Entretenimento

Michelle Obama e LeBron James fazem parceria para incentivar voto antecipado nos EUA

Reuters
Reuters
Michelle Obama e LeBron James fazem parceria para incentivar voto antecipado nos EUA
Michelle Obama e LeBron James

13 de outubro de 2020 - 19:09 - Atualizado em 13 de outubro de 2020 - 19:10

Por Trevor Hunnicutt

(Reuters) – Um grupo pró-votação liderado pela ex-primeira-dama dos Estados Unidos Michelle Obama se juntará a uma organização apoiada pelo astro da NBA LeBron James para fornecer comida, equipamento de proteção, aconselhamento jurídico gratuito e caronas para as pessoas que votarão de forma antecipada na eleição norte-americana.

“When We All Vote”, de Michelle, e “More Than A Vote”, de James, sediarão eventos com DJs profissionais e participação de celebridades perto de locais de votação para encorajar a votação antecipada para a eleição de 3 de novembro, disseram os grupos em um comunicado.

Como parte da iniciativa, a empresa Lyft oferecerá viagens com desconto para locais de votação, e o comitê de advogados para direitos civis e a coalizão de proteção eleitoral fornecerão advogados que podem defender os eleitores que votarem na disputa entre o presidente Donald Trump, um republiano, e o desafiante democrata Joe Biden.

A votação antecipada está aumentando, já que os norte-americanos tentam evitar aglomerações no dia da eleição por causa das preocupações com a pandemia de coronavírus.

Nacionalmente, mais de 10 milhões de votos foram depositados até terça-feira, de acordo com dados compilados pelo Projeto Eleições dos EUA.

“Milhões de norte-americanos já votaram e faltam apenas 21 dias para o dia da eleição, fazer seu plano de votar antecipadamente é fundamental”, disse Michelle Obama, esposa do ex-presidente Barack Obama, um democrata, em comunicado. “Não podemos deixar ninguém para trás.”

Alguns dos eventos acontecerão em cidades de Estados altamente disputados, incluindo Atlanta (Geórgia); Charlotte (Carolina do Norte); Detroit (Michigan); Milwaukee (Wisconsin); Orlando (Flórida); e Filadélfia (Pensilvânia).

(Reportagem de Trevor Hunnicutt, em Nova York)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG9C1XC-BASEIMAGE