Mauro Picini
Ligado em Você

Por Mauro Picini

Entretenimento
Mauro Picini

Parque das Aves vai receber o visitante 10 milhões nesta terça-feira (28)

Depois do final de semana de excelente visitação, o atrativo já confirma que a pessoa que vai bater a marca histórica entrará no atrativo entre 9h e 9h30 da manhã

Parque das Aves vai receber o visitante 10 milhões nesta terça-feira (28)
(Foto: Divulgação / Parque das Aves)

27 de setembro de 2021 - 16:09 - Atualizado em 27 de setembro de 2021 - 16:09

Prestes a completar 27 anos de existência, o Parque das Aves vai celebrar amanhã (28), a quebra de uma marca histórica: o atrativo vai receber entre 9h e 9h30 da manhã o visitante número 10 milhões.

“Estamos na expectativa há alguns meses e agora celebramos a certeza de que o visitante número 10 milhões, um marco na história no Parque das Aves, vai mesmo vir amanhã. Todos os preparativos já estão a postos para celebrar este evento”, comenta Luciana Leite, diretora de engajamento e sustentabilidade do Parque das Aves.

O visitante de 10 milhões vai ser recebido pelos colaboradores do Parque das Aves com um brinde com suco refrescante feito pelo restaurante Sabores da Floresta e algumas surpresas. Além disso, molduras comemorativas estarão espalhadas pelo atrativo, para que os visitantes possam tirar fotos e celebrar a conquista com a hashtag #somos10M.

Visitação ao longo dos anos

Fundado em 1994, o Parque das Aves recebeu 4,5 milhões de visitantes até 2013. Em 2014 recebeu 677.470 e, 4 anos depois, em 2018, 823.364. Esse crescimento seguiu as tendências de aumento de visitação em Foz do Iguaçu e, para os próximos anos, espera-se que a cidade cresça ainda mais.

“Com a construção da nova ponte, ligando o Brasil e o Paraguai, e os diversos investimentos que estão sendo feitos no setor turístico na cidade, prevemos um crescimento ainda maior para os próximos anos, não só no Parque das Aves, mas na cidade como um todo. E estamos muito animados com isso”, comenta Rodrigo Chibiaqui, gerente de marketing do atrativo.

Em 2019, o Parque quase atingiu a marca de 1 milhão de visitantes. Ao total, passaram pelo atrativo 936.673 visitantes, um aumento de 12,8% em relação a 2018. A crescente vinha ocorrendo há vários anos, e só foi interrompida pela pandemia no Covid-19.

“Agora que 100% da população adulta de Foz está vacinada com a primeira dose, e logo teremos todos com a imunização completa, os visitantes se sentem ainda mais confiantes de visitar nosso destino. O anúncio da abertura da Argentina só reforça isso. Logo estaremos batendo novos recordes de visitação, tocando mais pessoas com nossa mensagem, e podendo arrecadar mais fundos para continuar nosso trabalho de resgate, abrigo e conservação de espécies”, fecha Rodrigo.

Um centro de resgate que sobrevive com a visitação

Em seus quase 27 anos, o Parque das Aves sempre desempenhou um papel fundamental para proteger espécies ameaçadas. Além de participar de diversos programas de conservação, apoiou o trabalho de diversos pesquisadores em campo, tanto financeiramente quanto enviando colaboradores para desempenhar atividades.

Por ser privado e não receber ajuda do governo, cada pessoa que visita o Parque das Aves apoia o trabalho do atrativo, que também é um centro de resgate de fauna, acolhendo animais vítimas do tráfico ou de maus tratos.

“Neste momento difícil que estamos vivendo, com a natureza sofrendo devido à exploração abusiva de seus recursos, nosso papel como instituição que realiza um trabalho sério de resgate, abrigo e conservação de espécies é essencial. Mas nada disso seria possível se não recebêssemos o apoio de nossos visitantes. Muito obrigada a todos que fizeram parte dessa história”, comenta Luciana.

Há alguns dias, o Projeto Papagaio-verdadeiro, apoiado pelo Parque, enviou imagens muito tristes diretamente do Mato Grosso do Sul, onde trabalha para proteger as populações da ave em seu habitat natural. No vídeo, é possível conferir vários filhotes de papagaio-verdadeiro empilhados em caixas em um pequeno carro. A ação da polícia impediu os criminosos de seguir com as aves para seu destino, mas elas já estavam fora de seu ambiente natural. São animais com histórias semelhantes a essas que acabam chegando no Parque, precisando de uma segunda chance de vida.

“Quando vemos cenas assim, ficamos ainda mais certos que estamos no caminho correto, trabalhando para que um dia isso mude. E tentamos todas as frentes: apoiando projetos que trabalham em campo com educação ambiental e ciência, e dentro do Parque tocando os corações de nossos visitantes, para que essa realidade deixe de existir muito em breve. Somente valorizando a natureza e vivendo em harmonia com ela que teremos a possibilidade de vislumbrar um futuro melhor”, comenta Luciana.