Livros

Ruínas e sal

Agressivo, o mar esfola as pedras.

Jossan
Jossan Karsten
Ruínas e sal

30 de julho de 2020 - 10:39 - Atualizado em 6 de agosto de 2020 - 13:45

Às vezes eu vejo gaivotas por aqui.

Disputam migalhas dos pescadores.

Olho para as gaivotas e sinto medo.

Não posso acabar brigando por restos.

O espaço da noite é preenchido por apitos.

A rota de navios mercantes não está longe.

Volto ao cais decrépito quase todas as tardes.

Olho o mar escuro e sinto o frio intenso.

Parece que no inverno as ondas se agitam mais.

O choque brusco nas pedras faz tudo tremer.

A cada volta, um pedaço do cais se vai.

Há feridas abertas nessas velhas ruínas.

Agressivo, o mar esfola as pedras.

Há um quer que seja de belo na dor e no sal.

Estou neste espaço segregado à solidão.

No meio da noite o vento forte me tira o sono.

Jossan Karsten