Jorge Jubrail
Pensamentos e Reflexões

Por Jorge Jubrail

Livros
Jorge Jubrail

Microconto

Ser um pouco pai de todas as crianças, era essa a sua missão.

Microconto

2 de março de 2020 - 00:00 - Atualizado em 8 de junho de 2020 - 15:41

Ontem, infelizmente, estive presente no sepultamento do Seu Toninho, vizinho do meu finado pai. Foi um momento que pude ratificar o verdadeiro significado da vida, observando as pessoas que foram prestar a última homenagem àquele que, com certeza, foi um ser humano exemplar, que deixou um legado aos “moleques” que cresceram na rua comigo; esse é o real significado da vida, permanecer vivo nas boas lembranças.

Eram outros tempos, outras crenças e valores, mas, a moral e a dignidade vividas pelo Seu Toninho foram passadas adiante. Não tenho dúvida que, apesar da educação rígida que meus pais me transmitiram, o Seu Toninho e tantos outros vizinhos, aqueles homens maduros, quase senhores, que faziam roda nos portões para conversarem sobre política, economia, futebol, complementavam os ensinamentos transmitidos por nossos pais com seus exemplos de justiça, lealdade e solidariedade nos momentos de precisão dos vizinhos.

Cada pessoa que passou pelo velório, representa um pouco da vida do Seu Toninho. Cada um carregará no coração as boas lembranças , os momentos alegres, as conversas e as broncas que nós, hoje homens, levávamos não apenas do Seu Toninho, mas, de cada pai presente ali na rua, que se preocupavam com o futuro daquela gurizada que jogava bola na rua, empinava pipas,  jogava pião e bolinha de gude, sempre observados pelos olhos atentos  e protetores de todos os pais da rua.

Sejamos nós, para as crianças de hoje, os pais e mães lembrados por eles no futuro. Deixemos nosso legado mostrando pelos exemplos, a conduta mais adequada e justa a ser seguida. Ainda que o mundo evolua, os princípios básicos da humanização continuarão os mesmos, baseados na fraternidade, lealdade e solidariedade, portanto, precisamos basear nossas ações nesses três pilares.

Meu sincero agradecimento ao meu finado pai e aos outros pais que tive na rua, Seu Toninho, Seu Ramiro, Seu Antonio, Seu Osvaldo, Seu Manoel e tantos outros vizinhos que foram um pouco pai de cada criança daquela saudosa rua.