Jorge Jubrail
Pensamentos e Reflexões

Por Jorge Jubrail

Livros
Jorge Jubrail

Diga não!

Olhou aquela criança com ternura e explicou-lhe a verdade.

Diga não!

8 de setembro de 2020 - 07:51 - Atualizado em 8 de setembro de 2020 - 07:51

Por uma questão de respeito e empatia, precisamos quebrar alguns paradigmas e mudar nosso discurso, principalmente, para as gerações que nos sucederão.  Então, há algumas coisas importantes a não se dizer a uma criança por um mundo melhor, mais tolerante e humanizado.

Não diga a uma criança que a religião do outro não presta, que é do diabo ou qualquer coisa do tipo. Apenas explique que a pessoa frequenta outra casa religiosa que não partilha dos mesmos pontos de vistas da sua religião.

Não diga a uma criança que determinada pessoa é inferior. Explique que durante sua vida, ela pode ter tido menos privilégios e oportunidades de estudar e trabalhar, mas, é tão inteligente quanto qualquer um. Aproveite para orientar a criança a agradecer diariamente, desde cedo, pelo privilégio de ter um lar, refeições, roupas, etc.

Não diga uma criança que uma raça é inferior à outra. Explique que há pessoas cuja origem é um país pobre com poucos recursos, que oferece menos oportunidade de evoluir; talvez pela guerra, colonização, mazelas políticas ou qualquer outro motivo que cause conflito e problemas sociais, que obrigue a pessoa a abandonar sua origem.

Não diga a uma criança que ela precisa trabalhar para vencer na vida. Explique que precisa trabalhar para sobreviver, ter dignidade e sentir-se útil à sociedade. Talvez, assim, teremos menos uma criança gananciosa e extremamente capitalista querendo vencer na vida a qualquer custo.

Não use tons pejorativos para tratar os mais velhos. Explique para a criança que todos envelhecermos, que é obrigação dos mais novos zelar pelo bem estar dos idosos. Aproveite para explicar o que é empatia, que apesar de novinha, um dia a criança envelhecerá e estará no lugar daquela pessoa idosa.

“Eduquem as crianças, para que não seja necessário punir os adultos.”Pitágoras